Copo de 3: Onde e como guardar as minhas garrafas ??

13 Junho 2005

Onde e como guardar as minhas garrafas ??


Quando começamos a gostar de vinho e entramos no mundo da prova, a curiosidade faz com que a compra de garrafas aumente, até que chegamos ao ponto de não saber o que fazer a tanta garrafa e o medo que este ou aquele vinho se estrague aumenta... chegou o momento de fazer uma garrafeira.

Primeiro convém indicar as condições que os nossos vinhos mais apreciam:


Temperatura: O factor mais importante, ideal entre uns 10ºC a 15ºC pois a mais temperatura o vinho entra em rápido envelhecimento, e a mais de 22ºC corre o risco de evaporação, e nesse momento é a morte do artista. Quanto mais baixa a temperatura mais lenta a evolução de um vinho, isso quer dizer se tivermos uma garrafeira que mantenha o vinho durante todo o ano com uma temperatura de 12ºC as nossas garrafas vão durar por muito mais tempo.
As oscilações não devem ser muito altas durante todo o ano, nem muito repentinas. Como deve saber no caso de colocar em prateleiras, na parte de cima ficam os tintos e na parte de baixo brancos e rosés.

Humidade: A ideal é entre os 60% a 75% o que faz com que a rolha fique sempre húmida não permitindo que o vinho se evapore. Se tiver problemas de pouca humidade coloque uma tina com areia e água, que resolve o problema, no caso de o chão ser em tijolo, basta que o regue um pouco que vai durar por muito bom tempo.
Caso a humidade seja muito alta , nesse caso o problema começa a afectar os rótulos e nesse caso convém retirar alguma com os processos já existentes.


Iluminação: O melhor é escolher um local escuro longe da luz directa, pois os UV dão literalmente cabo do vinho.

Ventilação: Para que os maus odores não se instalem na garrafeira convém manter uma pequena circulação de ar na nossa garrafeira. Manter os vinhos longe de cheiros fortes como comida, químicos, tintas...

Estabilidade: Os vinhos gostam de estar deitados sem que ninguém os incomode, até ao dia em que acordam para ser bebidos, portanto sítios calmo sem grande agitação.
Já agora os batidos de fruta sabem bem melhor...

Na sua garrafeira ou perto dela deverá ter um pequeno termómetro e um higrómetro para poder controlar temperatura e humidade.

Pois bem visto estes aspectos todos, resta começar a colocar as garrafas no seu sítio.
Mas e que garrafas é que posso colocar deitadas ou ficam todas na vertical ???
Alguns tipos de vinho e derivados são mesmo para ficar na vertical. Aguardentes, Tawny, Tokay, Sauternes, Moscatel... Os restantes tintos, brancos e rosés vai tudo ficar deitado.


Falta agora escolher um sítio da casa que consiga reunir em parte as condições mínimas ou as mais próximas... Sei que em apartamentos de Lisboa é bem difícil, mas tudo se arranja. Caso o dinheiro não seja problema sempre se pode comprar uma Cave Climatizada e os problemas ficam todos resolvidos.
Depois de escolher o sítio, falta escolher os materiais, estantes em madeira, metal , plástico, todas elas são boas escolhas desde que ofereçam comodidade e resistência para as garrafas, convém também pensar nas garrafas que ficam de pé, nas caixas que podemos vir a comprar e mesmo nos amigos que podem oferecer umas Magnum...
Um armário escondido lá por casa longe da cozinha, por baixo de umas escadas bem escondidas de tudo...
E pronto agora é colocar os seus tesouros no sítio e começar a provar e beber sozinho ou acompanhado.
Espero que tenha servido de ajuda.

13 comentários:

Copo de 3 disse...

Recomendo a leitura atenta de alguns livros para melhor entender as temperaturas de serviço e de guarda...

António C. disse...

Gostei muito deste artigo, está lá todo o essencial de forma concisa. Desaconselho vivamente a leitura demasiadamente especializada sobre o assunto (sobretudo aos "principiantes"), pois pode ser informação a mais e que acaba por desmotivar.
Para quem não tem dinheiro para investir numa garrafeira, pode também guardar as garrafas no guarda-roupas (uma dica do site da Wine Spectator). A temperatura nesses locais é certamente mais elevada, mas mais constante ao longo do ano.

Anónimo disse...

Podia explicar a razão para os tintos deverem ser guardados na parte de cima da garrafeira e os brancos/rosés na parte de baixo?

Copo de 3 disse...

O vinho rosé e o vinho branco, mas principalmente o branco, é mais sensível à luz e a temperaturas mais altas, pelo que conservando o vinho nos patamares mais baixos da sua garrafeira ficará mais resguardado desses dois factores.

Obviamente se tiver uma cave refrigerada ou mesmo uma cave com luz reduzida e temperatura constante dentro do normal para a guarda de vinhos, não tem de se preocupar com este pequeno detalhe.

Nuno Costa disse...

oi pessoal eu sou ainda muito inexperiente nestas coisas que tocam a vinhos mas adoro beber a questão é que tenho guardado algumas garrafas mas so agora que vi este artigo percebi as condições ideais para o fazer no entanto tenho algumas duvidas que gostava que me esclarecessem...quantos anos pode durar um vinho numa garrafa se for guardado nas condições ideais?? o vinho fica melhor depois de envelhecer na garrafa passado uns anos?? o valor duma garrafa aumenta ao longo dos anos se bem conservada?? se me pudessem responder a estas questoes agradecia imenso.
Com os melhores cumprimentos Nuno Costa

Copo de 3 disse...

Caro Nuno Costa seja bem vindo ao Copo de 3, nas perguntas que coloca:

Quantos anos pode durar um vinho numa garrafa se for guardado nas condições ideais??
Como deve compreender varia de vinho para vinho, pois nem todos são iguais nem feitos com os mesmos objectivos, temos vinhos feitos para um consumo a curto ou mesmo curto/médio prazo que em nada ganham com guarda, ainda encontra vinhos feitos para um consumo a médio prazo que podem ganhar algo em garrafa, normalmente são vinhos que pode guardar na garrafeira por alguns anos... no final temos os vinhos para consumo a longo prazo, ou seja, vinhos feitos a pensar num consumo no seu melhor ponto de forma, aqui por regra colocam-se os vinhos topo de gama mas poderá encontrar excepções em gamas mais baixas.
Um Madeira pode durar uma vida e mais que isso, tal como alguns Vintages, e outros grandes vinhos do mundo.

o vinho fica melhor depois de envelhecer na garrafa passado uns anos??
Se o envelhecimento for positivo, podemos dizer que fica, agora se o vinho evoluir mal ou for um vinho sem características de guarda, em nada vai melhorar pelo contrário.
Quando um vinho evolui nobremente em cave vai surgir o que se denomina por Bouquet, aromas terciários, que resultam do estágio do vinho.

o valor duma garrafa aumenta ao longo dos anos se bem conservada?
Se for uma garrafa de colecção e de renome mundial aumenta, como os Bordeus, Borgonha, Vintage Porto, Madeira... no mercado nacional nos vinhos de mesa depende da sua procura no mercado.

Rita Freitas disse...

Obrigada João pelas dicas da garrafeira.
Não sou descobri o prazer de beber vinho(geralmente tinto)agora mas sinto que ainda não percebo nada deste mundo! quanto à garrafeiras, realmente num apartamento é complicado estas condições e ainda não consegui descobrir qual o melhor sitio para colocar as garrafas, pensei na despensa, mas se me indica que perto de comida não será aconselhável colocar a minha garrafeira...fico sem hipóteses...cá hei-de descobrir um melhor sitio! Mais uma vez obrigada.

Copo de 3 disse...

Caríssima Rita Freitas seja bem vinda ao Copo de 3.

Tenha em atenção que referi que a Cozinha não é um local aconselhado visto ter grandes oscilações, o vinho gosto de locais com poucas variações de temperatura, escuro e sem muito barulho, a dispensa talvez seja um dos pontos mais recomendáveis nos apartamentos, para colocar a garrafeira.
Convém evitar o contacto com detergentes e produtos químicos, mas quem é que numa dispensa de alimentos vai colocar tais coisas, mas se encontrar um sítio melhor será muito bem vindo.

Anónimo disse...

Ressuscitando este assunto.

Qual a sua opinião sobre umas novas garrafeiras totalmente em esferovite, será que poderão contribuir para uma menor oscilação de temperaturas?

Quando se compra uma garrafa e se pretende guardar sem ainda ter provado esse vinho, quais os indicadores da duração provável desse vinho?

Obrigado, cumprimentos.

Copo de 3 disse...

Não conheço as garrafeiras de que me fala...

Falando por alto, a esferovite nesse caso deverá ter algum tratamento para se isolar de aromas menos bons, e que podem prejudicar o vinho (via rolha).

Também é certo que a esferovite é utilizada como isolador térmico, o que por este caminho pode apresentar uma boa solução.

Ora comprar uma garrafa sem ter provado, o indicador de duração provável do vinho, pode ser a zona de onde é oriundo o vinho, o tipo de vinho que é, por exemplo se for um Madeira, Moscatel, Porto Vintage, Rosé, Branco.
Se pensarmos no teor de álcool pouco ajuda visto que grandes vinhos de nível mundial apresentarem graduações baixas 12,5% 13% ou outros que apresentam bem mais 14,5%.
Outro factor que pode ajudar é saber o historial da marca, se for por exemplo uma marca com créditos firmados e que sabe de antemão que os vinhos se podem guardar por determinado tempo, é uma ajuda preciosa.
Se for um vinho novo no mercado... convém mesmo provar primeiro.

Cumprimentos.

Anónimo disse...

estas informaçoes sao muito uteis e faceis de perceber obrigada, eu que sou um recente amante do vinho e colecionador de vinhos mas ja com umas 50 garrafas diferentes nacionais, tenho uma serie de duvidas e dicas a aprender.
como puderei saber o valor de mercado das minhas garrafas.
onde posso me informar em comprar boas garrafas que possam guardar , para futuro.
obrigada

Copo de 3 disse...

Seja então bem vindo ao Copo de 3.

Ora para saber o valor de mercado das suas garrafas, no mercado dos vinhos nacionais com alguma idade a melhor maneira é tentar informar-se dos preços praticados em garrafeiras como a Garrafeira Nacional ou Garrafeira Campo de Ourique que tem uma oferta alargada de vinhos com alguma idade e mesmo ao nível das novidades, preços cordatos.
Mas basicamente o único tipo de vinho que valoriza com o tempo, Made in Portugal, é o vinho da Madeira e Porto, depois apenas Barca Velha e um ou outro fenómeno vínico.

Comprar boas garrafas, sugiro a Garrafeira Nacional, Coisas do Arco do Vinho e Garrafeira Campo de Ourique, também a Wine&Flavours tudo em Lisboa e com preços acessíveis. Mais a norte a Vinho e Coisas e a Garrafeira Gaveto.

Sansoni7 disse...

Olá
Tenho um problema com vinho e por isso vim cá ter e aproveito para pedir ajuda.
Todos os anos compro vinho maduro tinto do Douro, engarrafado em garrafão e produzido pelo lavrador por métodos artesanais sem recurso a «químicos».
Pois bem até à cerca de dois anos o vinho era muito bom durante todo o ano mas as coisas agora estão diferentes. Este ano, o vinho foi passado do pipo para os garrafões há cerca de um mês e fui buscá-lo há cerca de 15 dias. Quando há uma semana abri um garrafão foi uma desilusão...o vinho está levemente turvo e a azedar. Não tem gás mas não é nada igual ao vinho que bebi da pipa de onde veio este.

Em suma, o que se terá passado para o vinho ter azedado em tão pouco tempo?
Como posso reslver a situação?
O que devo fazer no futuro para que tal não volte a acontecer?

Obrigado e parabéns pelo blog

Augusto

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.