Copo de 3: Prova de vinhos Real Companhia Velha

28 junho 2005

Prova de vinhos Real Companhia Velha

Esta prova foi feita com dois vinhos do Porto, sendo vinhos com alguma idade, o cuidado em servir foi grande pois o depósito já estava bem presente nos dois exemplares.

Real Companhia Velha - Royal Oporto 10 anos

Este vinho foi engarrafado em 1987, e portou-se com grande dignidade.

Na cor já se nota a idade, tem uma tonalidade ruby escuro com bordo em tons de tijolo.

Aromas iniciais a pólvora seca e amêndoa torrada, que com o tempo vão dando lugar a frutos secos, caixa de tabaco, um ligeiro toque de chocolate, fruta em compota.

Revelou-se muito bem na boca, com uma elegante persistência, nada pesado e faz companhia à prova de nariz.


Real Companhia Velha - Família Real Tinto Aloirado Doce

Com uma bonita e brilhante cor âmbar, parece um Whisky, mostrou-se fechado de aromas no começo, com algum álcool em destaque, toque de perfume e pó de talco. Com o tempo foi abrindo e surgiram notas de laranja, amêndoa torrada, mel, flores a reforçar o tal aroma perfumado, juntamente com alguns aromas a caixa de charutos.

Na prova de boca, tem um bom corpo, notas de mel, flores, amêndoa, e uma ligeira ponta de álcool que lembra um licor, que deixa um rasto doce com uma ponta final fresca.

PS: Depois de algumas chamadas de atenção sobre a idade de um vinho do Porto, penso que seria mais interessante explicar:

Os Tawny podem sofrer longos processos de envelhecimento, Porto 10 anos; 20 anos; 30 anos e +40 anos. Estas datas referem-se à idade média dos Portos que deram origem ao vinho em questão.

A um Tawny de uma só colheita, ou seja, que sofreu longo período de amadurecimento, mas com a totalidade das uvas de uma única colheita, é designado"Colheita".

Informação retirada do site: http://www.sbav-sp.com.br/artigos.asp?cod_art=4

O tal que era Desintervenção afinal não o é, as minhas desculpas, mas fui mal informado pelo senhor vendedor, o qual irei explicar a situação mais detalhadamente.

9 comentários:

Rui Knopfli disse...

Continuo a aprender mais algumas coisas sobre os nectares dos deuses!

Comer é uma necessidade do estômago; beber é uma necessidade da alma!
Victor Hugo

Anónimo disse...

Não vi o nome Desintervenção no rótulo... Já agora, sabes-me dizer de onde vem essa designação?
Obrigado.

Copo de 3 disse...

DESINTERVENÇÃO,é o nome que se dá aos vinhos produzidos depois da desintervenção do estado naquela zona. Isto é apenas o que sei, mas também eu estou curioso por saber mais, assim que for possível colocarei mais informação.

cc disse...

"A marca Desintervenção tratava-se de um vinho do Porto Tawny de Superior Qualidade era um vinho de lotação, que quando ia para a garrafa tinha uma média de idade de 12 anos.
A marca Desintervenção foi criada em 1978 para assinalar o regresso da Companhia Velha aos seus verdadeiros donos.
Actualmente já não se comercializa essa marca."
Informação cedida por mail pelo Sr. José Camilo,da Real Companhia Velha.

Copo de 3 disse...

Agradeço a explicação caro amigo CC, é sempre bom ficarmos a saber mais um pouco sobre os nosso vinhos.

Anónimo disse...

Fico meio aparvalhado que neste blog apagam as criticas e deixam os aplausos. Fui eu que escrevi sobre os erros graves sobre a idade dos vinhos. Que bela forma de democracia!

Provavelmente esta tambem vai ser apagada, por que outra critica! Procurei e procurei no rotulo por desintervencao... e nada! Em nenhum lado aparece o nome desintervencao! Engracado, nao e?

E tiverem de ser vertidos com cuidado por causa de deposito? Como? Dois tawnies correntes com deposito? Fique a saber que estes vinhos sao filtrados antes de serem engarrafados e que nao formam deposito.

E mais um pormenor, um tawny corrente e um 10 anos estao longe de serem vinhos de museu.

AC

Copo de 3 disse...

Parece que temos um amotinado no Blog, uma pessoa que não tem coragem para dizer quem é...

Mas vamos deixar passar as suas críticas, porque isto afinal é uma democracia, desde claro que cada um diga o que quer dentro de uma certa educação.

Sobre o Desintervenção,atenção o mesmo foi-me dito quando da compra da garrafa, e como eu pouco sei, limitei-me a indicar o que me disseram...

Sobre os vinhos em questão, sim são duas peças de museu, já que marcam um acontecimento importante naquela zona e julgo que não vamos ter muitas mais garrafas Desintervenção de anos futuros.

Sobre a questão do ter depósito... basta ver com atenção na fotografia e vai poder conferir com os seus próprios olhos, o depósito vê-se muito bem nas paredes da garrafa.

E se tiver boa visão, sugiro que tente lêr o que diz nas garrafas na parte inferior do rótulo.

Estamos esclarecidos, as suas críticas AC não passam de puro mal dizer. E toda a gente o confirmou.

Conjurado disse...

Senhor AC vá tratar de copiar umas notas de prova de vinhos do ano passado e deixe quem sabe trabalhar... neste momento e depois da trafulhice que fez não tem credibilidade para dizer o que seja...

luckyluke disse...

eu tenho na minha garrafeira uma garrafa de desintervenção. é mesmo garrafa de museu? tem algum valor comercial? pergunto porquw sou leigo nesta matéria.
muito obrigado

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.