Copo de 3: As Reservas da Ferreirinha

22 Setembro 2006

As Reservas da Ferreirinha

Das terras altas do Douro vinhateiro, mais propriamente da famosa e carismática Casa Ferreirinha sai este vinho, aquele que poderia ter feito parte da sequela de um míto de nome Barca Velha mas que em determinada altura do seu repouso foi despromovido para Reserva Especial (nome criado em 1962) ou como se designa nos dias de hoje, Reserva.
Em prova cega foram colocados dois vinhos, apenas se sabia que eram vinhos tintos, dois exemplares que deram muito que falar durante a prova e que fizeram as delícias de todos os presentes.


Os vinhos em causa foram decantados com antecedência e servidos a temperatura correcta, uma pequena nota de destaque para as rolhas dos dois vinhos que ambas deram problemas ao serem removidas, o problema não é só de agora.
Foi engraçado levar o primeiro vinho ao nariz que me fez lembrar um vinho que faz alguns anos me marcou pela excelente prova que me tinha proporcionado, o seu perfil poucas dúvidas me deixava restando apenas saber o ano, devido a um rebordo ligeiramente laranja não o via como um jovem mas isto de adivinhar anos tem muito que se lhe diga, fiquei pelo palpite mais que certo pois tratava-se de um Ferreirinha Reserva 1989 que aqui passo a descrever:

Ferreirinha Reserva 1989
Castas: da zona - Estágio: carvalho francês -12,5%

Tonalidade muito bonita e cativante com um ruby com ligeiro rebordo laranja a mostrar a clara passagem do tempo.
Nariz de boa intensidade, inicialmente químico, terroso, abrindo com o tempo para aromas de fruta (preta) em compota, chá preto com azeitona preta, tabaco em pequena quantidade, chocolate, especiaria com final fino e delicado em apontamento mineral (xisto húmido). Em comparação nota-se uma evolução mais acentuada que no seguinte vinho.
Boca com componente mais vegetal, fruta presente mas muito leve, está com frescura presente mas o seu melhor já passou, fino e elegante, com um bom final de boca de persistência média/alta.

Com quase 18 anos este vinho já deu o seu melhor faz algum tempo, digamos que da última vez que o bebi estava bem de saúde, com mais para contar, fiel representante do Douro a não merecer muito mais guarda pois já não dá grandes alegrias.
16,5

O segundo vinho em prova tinha um aroma muito semelhante ao anterior, certamente seria irmão, mas neste caso seria mais novo, digamos mais recente, o que se veio a verificar pois tratava-se do Ferreirinha Reserva 1994 que passo aqui a relatar:

Ferreirinha Reserva 1994
Castas: da zona - Estágio: carvalho francês - 12,5% Vol.

Tonalidade ruby escuro de mediana concentração, apresenta ainda que muito ligeiro, um pequeno rebordo alaranjado.
Nariz inicialmente fechado, abrindo com o tempo para aromas de fruta preta (ameixa e amora) muito madura e com ligeira compota, leve baunilha, especiaria e algum floral (esteva), tabaquinho com ligeira sensação de resina de pinheiro, torrado de fundo, tudo num conjunto muito harmonioso e em nada extravagante, aqui mandam os bons costumes e tudo se porta com normas bem precisas.
Boca com entrada fresca em corpo fino, perfil sedoso, muito equilibrado com frescura presente e fruta madura, balsâmico presente num final de boca de persistência média/alta.

Um grande vinho que foge claramente às novas tendências enológicas que reinam por este mundo fora, fiel exemplo dos vinhos do Douro finos e elegantes.
Hoje em dia são poucos os vinhos que vão chegar a estas idades, com os consumidores cada vez mais a darem menos tempo de espera aos vinhos.
17,5

A pergunta que fica no ar é, quantos dos vinhos que hoje em dia nos enchem os olhos e esvaziam a carteira vão aguentar tão bem a passagem dos anos como estes dois exemplares ? Será que vamos ter hipótese de os provar com estas idades ?

39 comentários:

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

Caro João Pedro

Estás aqui a dizer-nos que em prova cega identificaste que eram os Ferreirinhas????

Bestial, mas gostava de ter assistido....

Chapim disse...

Caro copo esse nariz está em grande forma pelo que li.

E essa prova deve ter sido memorável..

frexou disse...

Bem, adivinhares a Marca do vinho é de facto além de curioso impressionante!

Ou bebes muitos Ferreirinhas e já lhe apanhaste o "traço" ou então foi mesmo pontaria!

Abraço!
Bem me podias te convidado... :)

Nuno de Oliveira Garcia disse...

João,

Ainda em Janeiro deste ano deixei um post sobre duas gararrafs de Reserva Esp. 1994. E... também tive problema a sacar as rolhas.

N.

Copo de 3 disse...

Claro está que foi algo que sucedeu naquele instante, não quer dizer que seja normal...

Quando se prova um vinho e esse mesmo vinho nos deixa marcado o seu perfil, digamos é algo que não se esquece, por vezes quando o voltamos a encontrar em prova temos aquela sensação de déjà vu.
Tudo isto associado a uma memória que felizmente não me falha e que permite estas situações. São vinhos com um perfil muito próprio, algo que só os grandes vinhos conseguem ter.

Pois Nuno parece que a Ferreirinha tem de começar a meter rolhas de qualidade superior, assim tipo Bordeus, porque estas coitadinhas...

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

Esta hist´ria faz-me lembrar um café que tinha uma placa a dizer :

Aqui reunem-se caçadores, pescadores, e outros mentirosos.

a-DOURO-te disse...

Porquê tanta incredulidade?

É ou não verdade que os escanções ao mais alto nível têm de identificar regiões, colheitas, castas, países, e nos concursos de topo podem até ter de identificar o produtor específico do vinho em prova?

Agora, conseguir essa proeza inacreditável (ou simplesmente, impossível = mentira, como se insinua aqui em cima) tendo de recorrer à memória de milhares de provas, ou recorrendo a uma memória de umas quantas dezenas ou centenas de vinhos, esclarece quanto à distância que diferencia duas capacidades; e não são capacidades sobre-humanas, a prova fornece muitos elementos à memória para que possa com segurança fazer uma posterior identificação.

JTMB, parece-me que o seu talento para provar tem limitações que o irritam ao ponto de se tornar um verdadeiro "stalker" de quem o consegue fazer.

Deveria ter frequentado menos esse tal café que menciona.

Miguel disse...

Parece que o JTMB tem algum problema com o nosso amigo. Será que não desiste de uma vez por todas? Já errita...

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

Ao Senhor Anónimo A-douro-te gostaria de dizer que o JTMB não é, nunca foi, nem pretende ser provador. Sou apenas um consumidor sem qualquer pretensão. E uma vez que conheço as capacidades de prova do João Pedro, continuo a dizer que tenho a maior duvida que em prova cega, ele tenha identificado as Ferreirinhas. Mas... se ele tem tanta certeza, tenho todo o prazer em o convidar a si a identificar-se, e a vir aqui jantar e se o João Pedro estiver disponivel fazemos uma demosntração ao vivo. Se eu perder dou-lhe a si uma Barca velha 1999. Se eu ganhar, fiquei com o prazer de o ter conhecido e de lhe oferecer um jantar. De acordo?

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

"Parece que o JTMB tem algum problema com o nosso amigo. Será que não desiste de uma vez por todas? Já errita... "

Primeiro ninguém aqui se errita, quando muito irrita.

Segundo, não tenho o menor problema com o João Pedro que conheço pessoalmente e com quem falo várias vezes ao dia. Apenas não gosto nem nunca gostei de ver fazer troça de pessoas de quem gosto, e o João Pedro ao publicar este post colocou-se a jeito publicamente perante pessoas que conhecem a capacidade de prova dele, que já o viram provar. Daí a razão de eu lhe ter pedido em privado para ele apagar este tópico.

Conjurado disse...

JTMB costuma provar regularmente com o dono deste blog para afirmar o que afirma ?

Tenho a maiores dúvidas do que escreve, ainda por mais sabendo que frequentava um tal café...

E depois senhor JTMB, gostar de vinho e apreciar vinho é uma maneira de estar na vida, não um circo com demonstrações ou actuações como quer fazer parecer.

BEJA disse...

Faz-me uma certa irritação este tipo de argumentação básica... e de insinuação barata colocando em causa a honestidade seja de quem for.

Ó José Tomaz Mello Breyner pelos vistos vejo que conhece o João, curiosamente eu também o conheço, mas como AMIGO não posso deixar que estas coisas se passem, questionar o rapaz porque numa prova informal não apanhou TCA num vinho colocado propositadamente pelos seus amigos Os5as8 para testarem o rapaz, não vejo como se diz amigo do João sabendo de tudo mas adiante carroça, um mau dia todos temos, errar é humano, um escanção num concurso também erra e por vezes até demais, os criticos de vinhos também podem errar ou já sabem tudo ? , até mesmo as máquinas dão erros veja lá.
O João contou-me isto já vai quase um ano e num ano muito acontece, até apareceram duas novas revistas de vinhos veja lá, e como sabe um apreciador pode evoluir, vejamos a evolução de alguns que se tornaram críticos de vinho, ganhando experiência ao longo da sua vida.
Como disseram anteriormente e bem, isto do vinho não é um circo, onde sempre que duvidamos de uma pessoa pedimos demonstrações e actuações para o grande ou pequeno público.

frexou disse...

O JTMB gosta muito de duelos!

Já me faz lembrar um duelo que marcou com o João Pedro, para ele distinguir rosés portugueses de espanhóis!

O JTMB é boa pessoa, não o julguem.

Ele gosta é de apimentar as coisas.
A Internet permite este tipo de situações, discussões e brincadeiras.

João Pedro, como disse lá em cima, é uma questão de apanhares um perfil de uma marca de vinho.

Um abraço aos dois.

Copo de 3 disse...

Amigo Frexou tens toda a razão, e sabes que é uma questão de apanhar um perfil de uma marca de vinho, como de uma casta...

Vamos meter as coisas bem claras, eu não sou o Luis de Matos e não adivinho as marcas dos vinhos que provo, penso até que esses números são mais interessantes por outros palcos.

O que interessa aqui foi uma questão de se ter reconhecido o perfil do vinho devido a uma prova anterior que me tinha marcado pela sua excelencia, desta vez este perfil de vinho fez-me lembrar o outro, mas não é verdade que para alguns provadores certos vinhos mesmo que em prova cega são logo identificados ?

Quantos de nós não nos esquecemos do arroz de lingueirão que se faz no tal sítio e sempre que provamos um diferente o comparamos ? E se provarmos um igual conseguimos dizer é este o do tal sítio.

frexou disse...

Eu também já levei na cabeça há uns meses por ter dito que um vinho que estava a provar era das Cortes de Cima!
Que quanto a mim, é um produtor Alentejano com um perfil muito próprio e fácil de apanahr. Desde o Syrah ao Reserva passando pelo Chaminé!

Miguel disse...

Peço desculpa pelo erro, deve ser pela "erritação". Só fiz o comentário porque não há uma única vez que o caro amigo JTMB não lance a confusão.
Porque não acredita no valor do João? Existe alguma coisa que o faça pensar o contrário?
Afinal de contas, estamos todos a falar do que gostamos e não valem a pena estas picardias.

AC disse...

Parece que alguns cavalheiros metidos nisto do vinho têm um certo prazer em tentar provar que o João Pedro ainda está na fase da "rolha", como alguns sapientes gostam de referir a todo o momento, depois de uma partida de “bom gosto” feita num dado momento e num tempo já algo distante.
Claro está que alguns desses sapientes têm feito algumas incursões na comunicação social e sobre as quais guardo boas recordações
Mas vamos lá ser sérios. Conheço o João Pedro, falo bastante com ele através da internet, e não tenho dúvidas sobre a seriedade dele e sobre o gosto que tem pelo vinho e que consegue transmitir através do seu blog.
Sobre a evolução do João desde a fase da "rolha" até este momento parece-me que a leitura do copo de 3 (gostem ou não) não deixa dúvidas a ninguém.
Sobre a prova em causa só posso dizer o seguinte: 1- há momentos de sorte (os grandes campeões que o digam); 2- se o João ficou com o registo na sua memória de uma outra vez que contactou com o vinho em causa, porque não ter "adivinhado" que vinho era, neste seu novo encontro; 3- qual o motivo para duvidar daquilo que o João escreve (é mentiroso? não é sério?); 4- será que este seu comentário, com toda a certeza numa prova com mais participantes, que poderão dar o seu testemunho, obriga o João a tornar-se um infalível nas provas cegas?
É evidente que não, e nem pouco mais ou menos. As coisas valem o que valem e no contexto em que se inserem.

Para o Sr. José Tomaz

Sobre a questão da seriedade e honestidade que reconheço no João, vou apenas fazer este pequeno comentário. Através de conversas frequentes, que tenho com o autor do Copo de 3, tive conhecimento de um assunto pouco sério e pouco honesto praticado por alguns senhores "sérios" e "honestos" que polulam em fóruns e noutras publicações sobre vinho. Pois apesar de ter insistido, repito insistido, para que o Copo de 3 fizesse a denúncia do assunto atrás referido (e que dividendos não teria este blog) recebi como resposta que não tinha interesse em publicar, porque poderia ter consequências difíceis de prever e que não estava para alimentar polémicas. Polémicas Sr. José Tomaz. Mas qual polémica. Estes casos têm de ser denunciados.
E isto só aconteceu porque o autor do Copo de 3 está cada vez mais documentado, cada vez lê mais, cada vez prova mais, cada vez compara mais, cada vez contacta com mais gente séria que se dedica a este tema, o que prova que já passou há muito a fase da rolha, em que o querem colocar. Ainda não repararam que a lei da rolha é praticada por eles?
Basta fazer uma leitura atenta das publicações do mês de Setembro. Não é verdade Sr. José Tomaz?

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

"...que estas coisas se passem, questionar o rapaz porque numa prova informal não apanhou TCA num vinho colocado propositadamente pelos seus amigos Os5as8 para testarem o rapaz, ..."

Não faço ideia do que fala, mas se fôr homemzinho assine seu comentário com o seu nome verdadeiro tal como eu faço

-----------------------------------

"...tive conhecimento de um assunto pouco sério e pouco honesto praticado por alguns senhores "sérios" e "honestos" que polulam em fóruns e noutras publicações sobre vinho. Pois apesar de ter insistido, repito insistido, para que o Copo de 3 fizesse a denúncia do assunto atrás referido (e que dividendos não teria este blog) recebi como resposta que não tinha interesse em publicar, porque poderia ter consequências difíceis de prever e que não estava para alimentar polémicas...."

Não faço ideia do que fala, mas se fôr homemzinho assine seu comentário com o seu nome verdadeiro tal como eu faço

frexou disse...

Andam por aí coisas abafadas.

Que elas andam andam.

JTMB não seja ingénuo em não perceber o comment do ac( a ver se não é Aníbal Coutinho).

"...tive conhecimento de um assunto pouco sério e pouco honesto praticado por alguns senhores "sérios" e "honestos" que polulam em fóruns e noutras publicações sobre vinho. Pois apesar de ter insistido, repito insistido, para que o Copo de 3 fizesse a denúncia do assunto atrás referido (e que dividendos não teria este blog) recebi como resposta que não tinha interesse em publicar, porque poderia ter consequências difíceis de prever e que não estava para alimentar polémicas...."

Quer que concretize? não me parece.

Sabemos bem do que estamos a falar!

E ainda não houve nenhum justificação!

Por muito mais "inexperiente" que o João Pedro possa ser, como muitos o apelidam, que não o é, é uma pessoa honesta, humilde e respeitadora, senão já tinha armado um " VINO CAOS".

Chapim disse...

Caros enófilos,

O vinho é união, não é irritação.

Vamos ser construtivos e ajudar a melhorar ainda mais este já importante blog, que é para isso que os comentários servem.

Boas provas

AC disse...

Para o Sr. José Tomaz

É mais do que evidente que para opinar num blog não preciso de escrever o meu nome.Mas isto é um assunto já por demais debatido, não é verdade?
Na minha opinião ou o assunto é tratado com seriedade ou não é. E não me parece que o Sr., apesar de se identificar, me tenha respondido de uma forma séria.E sabe porquê, porque ambos sabemos do que estou a falar (e pelo que parece não somos só os três).E não me venha com histórias de ser homenzinho porque isso são tretas. Mas já agora dou-lhe alguns dados: tenho 56 anos, 1,79 m de altura e sou um pouco calvo. Não escrevo o meu nome porque não quero e claro está que não sou Aníbal Coutinho.

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

"...E sabe porquê, porque ambos sabemos do que estou a falar (e pelo que parece não somos só os três)...."

"...Quer que concretize? não me parece.

Sabemos bem do que estamos a falar!..."





Não sei nem quero saber do que estão a falar, não me diz concerteza respeito, pelo que não me interessa.

JTMB

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

"...JTMB não seja ingénuo em não perceber o comment do ac( a ver se não é Aníbal Coutinho)...."

O mais engraçado de toda esta situação, é que quem me chamou a atenção para este tópico e a fazer troça do João Pedro foi o FREXOU, que me enviou uma mensagem através do messenger. Uma no cravo outra na ferradura? Duas Caras?

Ainda és muito novo para isso Frexou.

JTMB

AC disse...

Para o João Pedro

No seguimento de alguns comentários, deveras interessantes, da parte de alguns amigos seus, deixe-me ter o atrevimento de tecer alguns comentários:
1- Não se esqueça que já foi “envergonhado” por alguns especialistas, a ponto de um seu amigo lhe aconselhar (mas que conselho tão ridículo)

“Apenas não gosto nem nunca gostei de ver fazer troça de pessoas de quem gosto, e o João Pedro ao publicar este post colocou-se a jeito publicamente perante pessoas que conhecem a capacidade de prova dele, que já o viram provar. Daí a razão de eu lhe ter pedido em privado para ele apagar este tópico”.

Por favor esclareça-me: quem são essas pessoas que pairam sobre o seu blog, quais aves agoirentas, que são sempre referidas de uma maneira velada, com a intenção, ainda não entendida, de condicionar o seu trabalho. Deve saber quem são, já que o conhecem tão bem, deve privar com eles regularmente, já que conhecem a sua capacidade de prova, mas por favor informe-me: Quem são estes Deuses, quero ler os seus artigos, quero pô-los no lugar que merecem, quero adorá-los, só quero beber vinho que eles aconselham e obviamente nunca mais quero entrar neste blog que me pode desviar de tão nobres conselhos.

2- Não tenho tido o prazer de ler comentários negativos às suas notas de prova, curiosamente algumas delas publicadas antes de sábias opiniões dos tais especialistas, que devem publicar como artigos da especialidade e pelas quais devem auferir bom dinheiro. Assim, continue no caminho que escolheu, e deixe que alguns façam troça (já estou com vontade de rir) porque o João sabe defender-se. E a melhor maneira de se defender é mostrar que cada vez tem mais leitores que acreditam em si e que gostam de gladiar consigo de uma maneira leal.

3- Como o aconselhei a publicar o assunto que me levou a fazer alguns comentários e como o João Pedro achou por bem não o fazer, eu, em breve focarei este tema, para que os seus leitores fiquem todos em igualdade de circunstâncias, de modo a poderem opinar sobre o que de melhor se vai fazendo neste país, que para além de outras coisas também vai produzindo algum vinho excelente.

Não escrevo o meu nome porque não quero

frexou disse...

Critiquei o Alentejano, mas de forma positiva.

"frexou said...

Bem, adivinhares a Marca do vinho é de facto além de curioso impressionante!

Ou bebes muitos Ferreirinhas e já lhe apanhaste o "traço" ou então foi mesmo pontaria!"

A mensagem de cariz pessoal não fugiu muito a este comentário, mas como lhe digo é de cariz pessoal.

Não escondo, critiquei o Alentejano, mas positivamente e num tom de brincadeira, como aliás dá para ver...

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

"Critiquei o Alentejano, mas de forma positiva. "

Caro Frexou

Como sabes, não me estava a referir a esta critica, mas sim a uma outra que enviaste para o meu messenger a chamar a atenção para o assunto de forma trocista.

Sabes Frexou eu fico com todas as conversas do messenger gravadas.

Se não fosse a tua mensagem no messenger, talvez eu até nem tivesse reparado neste assunto uma vez que confesso li a nota de prova na diagonal e a correr, só depois da tua mensagem vim reler a nota.

Já te lembras agora?

Zé Tomaz

a-douro-te disse...

Quanto à categoria de "senhor" em que cabe o JTMB, já estamos todos esclarecidos, especialmente depois deste - sobretudo - deselegante confronto público de diz-que-disse com o Frexou; eu teria vergonha, mais ainda depois de uma recente reprimenda ao seu comportamento fascista, num fórum que a gente bem conhece. Lamento informá-lo, e se ainda não o fizeram diz muito da qualidade dos seus amigos: mexer no cocó não faz desaparecer o cheiro.
Se inicialmente me pareceu nobre a sua convocatória para o tal tira-teimas, só veio revelar mais intensamente o procedimento: eu quero, posso e mando; imagino que tenha os meios para tal, mas o seu fascismo não me convence.
Vou permitir-me, não só por me parecer gracioso, mas por saber da sua imoderada afeição: vá meter uma rolha. Ponto.
Se alguém vai de levantar um tema polémico ou uma suspeita no fórum que a gente sabe, vossemecê solta os cães como se não houvesse amanhã, e não é estranho que para este blog reserve o ainda pior que há em si? É importante ser-se bom, sim, é bonito pensar-se isso, mas é só retórica vã e oca. Quanto a ser-se importante... estamos conversados.
A.C., enough of innuendos, esclareçam-nos lá sobre esses segredos de estado, tão teebrosos que até vão rachar o verniz resistente do brilhante Barca Velha!

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

Que fácil é falar a coberto do anonimato, e além de fácil, acusar anónimamente é considerado cobardia. Não sei quem me chamou fascista num forum (nunca vi isso escrito) pelo que considero a acusação gratuita, e a si não lhe volto a responder enquanto não tiver a coragem de se identificar.

JTMB

a-douro-te disse...

Interessante que esta posição de valentão, corrijo, fanfarrão, se mantenha, insistindo na prepotência... Pelos deuses, JTMB, insisto que os seus amigos andam a enganá-lo, ainda se presume mais importante e interessante do que é na verdade, e não veja isto como uma depreciação, cada pessoa tem o seu justo valor, o seu problema é talvez especulação bolsista...

"Uma vez que esta minha posição incomoda alguns participantes, para bem da continuação deste excelente espaço, vou de "Férias", pois não me quero sujeitar a ser insultado por um qualquer Nazaré que nem sequer tem coragem para se assumir."

Releia também o que escreve essa comentadora Nazaré:

http://www.os5as8.com/forum/viewtopic.php?t=3772&postdays=0&postorder=asc&start=30

Acho muito feio que desvalorize o que digo por ser - no seu entendimento - anónimo; vou fazer-lhe a vontade e encher-me de coragem, aqui vai: Paulo; já podemos falar de "homem para homem"?

E deixe-me corrigi-lo também nisto: não é assim tão fácil falar ou escrever a coberto do anonimato, veja o seu caso: escreve o que deve e (principalmente) o que não deve completamente a descoberto, corajosamente (como se presume, e eu até lhe admito alguma coragem quando consegue sair à rua depois de dizer o que diz), portanto, a verdade é que o que é fácil para si é dizer o que bem entender do seu pulpitozinho, assinando com toda a pompa, qual Soares assinando a entrada de Portugal para a CEE!!!!

Já agora, aproveito também para lhe ensinar boas maneiras, e muita falta lhe fazem: ao entrar no blog do Frexou e chamá-lo de "puto" publicamente, ou ao vir ao blog do João Pedro (tentar) humilhá-lo, foi essa a educação que os seus paizinhos lhe deram? E se lhe entrasse um tolo semelhante (a si) pela York House dentro, de dedo em riste, em bicos-de-pés, soltando impropérios semelhantes, como aquele que lhe custou ouvir: fascista?

Que falta de respeito... os tutores do tal fórum são a quintessência, as grandes vacas sagradas, o que dizem é incontestável e mais valioso do que o ouro? E mais ninguém pode ter opiniões? Não acha isso fascismo? Se não se consegue ver ao espelho, estou mesmo a perder o meu tempo, disso me arrependo...
É que, se só essas vacas são sagradas, todas as outras vacas... são... desgraçadas?

Aqui vai novamente, nova dose de coragem:

Assinado,

Paulo

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

Paulo? Paulos há muitos infelizmente não se assumem.

Passe bem

a-douro-te disse...

Paulo Julião.
Chega??????
"...infelizmente não se assumem", caro JTMB, estou bastante seguro e feliz com a minha opção sexual, é a isso que se refere? Se for para o fazer feliz, até assumo o que quiser, sair do armário, whatever, diga e faço esse roleplay por si.
Ironias à parte, fico triste por ainda não ter percebido um avo da mensagem, e é a sua insensatez que estamos a discutir, não precisamos de mais provas, já as temos mais do que suficientes, pessoalmente gostaria de dois resultados: o milagre de o JTMB se tornar um homem sensato; nessa impossibilidade realista, que lêssemos menos JTMB e das suas insensatezes, que tivesse a capacidade de conter-se e de libertar os seus desmandos num quarto hermético.

Obrigado, passarei bem.

Paulo Julião - Leiria

(Continuam a abundar; muitos deles - imagino - ainda dentro do armário..., e nem a N.ªS.ª da ASSUNÇÃO lhes valerá!)

Anónimo disse...

Ui, ai, ui... parece que o vitaminado comentador Breyner se sentou em cima de um cacto! Ou seria um seixo rolado?, e os espinhos fariam... parte do que se senta, e não parte de onde se senta?
Essa coisa das férias não é suficiente, esse caval(h)eiro precisa de um permis de conduire nas caixas de comentários, e de testes de alcoolemia muito frequentes, essa é que é essa. É que com essa história do assumir, o homem pode não andar sequer aos 'ss', mas sim aos asses...

(Prova nro. 1: quem tentou fod... um gajo aqui à frente de toda a gente? Branco fresco para a memória: "foi o FREXOU, que me enviou uma mensagem através do messenger", faz-me lembrar a anedota do tipo que toma comprimidos a mais para aquilo e tal, e depois de aviar a família toda, toca a afiar o dito cujo para aviar o periquito...)

Mísia disse...

São as turras no garrafão, tal como o padre de Abes Shitty (Vila das Aves, palminhas que isto tem futebol na 1.ª divisão!), que vai à bola com um garrafão na cabeça. Sem comentários.

Copo de 3 disse...

E sobre os Reserva Ferreirinha alguém provou, conhecem, comentários a fazer aos mesmos ?

É sabido que o nome vai voltar a ser Reserva Especial, e surge entretanto o Colheita (tanto no Douro como no Alentejo) que prentende defenir o estilo de uma zona, este Colheita vai surgir nos anos em que o vinho não tenha qualidade nem para Barca Velha nem para Reserva Especial...

Comentários a esta mudança ?

frexou disse...

Quanto ao problema que aqui têm lançado em o ZT ter descortinado uma conversa privada, não me afecta, apesar de achar desleal e sem ética nenhuma. enfim...

Já me vou habiatuando...

Quanto ao facto de me chamarem puto ou menino ou afins, só tenho a dizer o seguinte:

Na juventude está o futuro. Não se queixam que os jovens não bebem vinhos?
Com o meu Blog, a minha "comunidade" de amigos já se interessa minimamente por vinhos, quando só bebiam cerveja. Até já me compram umas garrafitas e comentam. ( certo é que pertencem ao G7 claro).

Sinto que por muito pouco que possa fazer, o que faço é útil, e isso faz-me feliz.

A felicidade é das coisas mais difíceis de ferir. Bocas e comentários sem nexo não afectam, apenas abanam, mas quando a raíz é dura a árvore aguenta.

Força João, Força Juventude. :)

Os velhos do Restelo são imortais.

Miguel disse...

João, eu penso que o colheita vai sair todos os anos.

frexou disse...

Penso que o Colheita irá substituir o Reserva Especial.

Pelo menos acho que foi o que me disseram na Essencia do Vinho, aquando a prova do Colheita 98. Mas certamente estarei enganado.


Outra questão:

Que é feito da colheita de 1997??
Segundo o que andei a ler no guia do JPM de 2000, ele diz que o lote de 97 só podia ir pra Barca Velha! Mas como já saiu o 99...

Ou acham que é possivel sair o BV97 depois do BV99?

Alguma vez isto aconteceu no longo historico dos Barca Velha's?

Abraço.


Um pouco de humor...

Este blog começa a parecer um Painél de Comentadores.
E ainda bem.

É so Paineleiros daqui a uns tempos.

Copo de 3 disse...

Gostaria de ver focada a vossa atenção apenas nos vinhos em questão, tentando esquecer questões menores e sem interesse para a conversa que se pretende.

Caro Frexou o Colheita segundo sei vai ser lançado no Douro, Dão e Alentejo, talvez seja lançado todos os anos, isso eu não sei responder, mas sei que não vai substituir o Reserva Especial (actual Reserva), pelo menos foi o que li no Guia Vinhos de Portugal 1997.

Pois o misterioso 1997 parece que é mesmo um mistério, tanto pode ser Barca Velha como não pode... mas gostava de o vêr como Barca Velha para fazer mais uma prova com o Barca Velha 97 e o Pera Manca 97.

Mesmo em off-topic, vem aí novo Pera Manca no final do ano, o 2003 e a coisa promete... já repararam que os melhores vinhos desta casa são os de anos ímpar ?

Copo de 3 disse...

Caros amigos, gostava de ver as atenções viradas para os vinhos e não para as pessoas.

O caso já passou e não vale a pena continuar com esta situação, falemos de vinho que é para isso que aqui estamos.

Frexou como o teu comentário já não tem como alvo os vinhos da Ferreirinha foi retirado.

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.