Copo de 3: PROVA À QUINTA Cockburns Vintage 1960

31 Maio 2007

PROVA À QUINTA Cockburns Vintage 1960

Lançado o 8º desafio Prova à Quinta pelo blog Vinho da Casa, e como o mesmo não referia o tipo de vinho a provar, tomei a liberdade de descer até à minha garrafeira e procurar algo que fosse diferente e de certa maneira entusiasmante.
Confesso que todas as garrafas que lá coloco as considero especiais, são aqueles vinhos que eu gosto e que tento guardar o melhor possível. Digamos que tenho gosto em guardar vinho, obter o melhor que cada um tem para me dar, nem que tenha de esperar alguns anos para que tal aconteça.
Esta garrafa que agora aqui coloco a nota de prova, era daquelas que já por lá andava faz muitos anos, mostrava-se coberto de teias de aranha e pó, bonita imagem quando se fala de uma garrafa de Vintage velho.
A garrafa foi chamada ao activo dois dias antes, colocada em sentido para dar tempo a que o depósito presente ficasse estabilizado no fundo da garrafa.
A rolha mostrou-se num estado crítico, saiu inteira mas completamente infiltrada, sendo o vinho servido a 14ºC.


Cockburn´s Vintage 1960

Tonalidade a apresentar-se com uma tonalidade âmbar com toques acobreado e ligeiramente glicérico.
Nariz bem equilibrado e elegante em tudo aquilo que transmite, frescura evidente com ligeiro toque iodado. Fruta presente mas com sensações de frutos secos e especiarias, leve melado semelhante ao da fruta cristalizada, flor de laranjeira com notas de madeira de móvel antigo, caixa de charutos. Tudo isto é transmitido ao longo de uma brisa suave e fresca, com leve toque de açúcar queimado no final.
Boca com entrada fina e elegante, grande equilíbrio apesar de não se mostrar com grande estrutura. Toque melado com a madeira de móvel antigo presente, acidez presente a dar frescura durante a passagem de boca, tabaco no final com claro arredondamento, frutos secos e uma persistência alta.

Temos um Vintage com 47 anos de vida, idade suficiente para meter respeito e consideração... apesar de tudo mostrou um ligeiro toque de desgaste. Pela tonalidade apresentada não se pode comparar com um vintage novo, aqui o que se mostra é uma tonalidade diferente e aproximada à de um tawny datado.
De todas as maneiras não deixa de ser um Vintage que deu muito prazer no acto da prova e acompanhou em grande estilo um bolo de noz.
18

1 comentário:

SobreVino disse...

¡Bonito Vintage antiguo! Lástima que lo encontraras algo apagado. Mi Vintage más antiguo es un Graham's de 1970, y sueño con el día en que lo abriré.

abraços

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.