Copo de 3: Adega Coop Borba Syrah

16 Julho 2007

Adega Coop Borba Syrah

Numa pequena limpeza de garrafeira, escolhi dois syrah da Adega Cooperativa de Borba, das colheitas 2003 e 2004.
Ambos os vinhos já aqui foram provados, se é verdade que estes vinhos quando lançados para o mercado dão uma bela prova, como será que se comportam com a passagem do tempo ?

Adega Coop. Borba Syrah 2003
Castas: 100% Syrah - Estágio: n/indicado -

Tonalidade ruby escuro de média concentração.
Nariz a mostrar um perfil de alguma austeridade inicial, tinta da china e alguma borracha queimada a passar com algum tempo de repouso. Surge logo depois um aroma de fruta muito madura com toque compotado, ligeira marmelada com tudo muito fino e certinho, fumo, especiarias, tabaco e fundo vegetal seco.
Boca com entrada a revelar boa estrutura, sem grande complexidade no mesmo plano que a prova de nariz, fruta com ligeira frescura num todo a mostrar algum desgaste. Tabaco e ligeira secura vegetal aliada a especiaria marcam a restante passagem de boca, com final mediano.

Um vinho que se comparado com o que era quando saiu se mostra algo cansado e desgastado. A prova que proporciona ainda consegue ser agradável, mas mostra-se claramente com sinais que não dura muito mais tempo. A beber o que tiver.
14,5

Adega Coop. Borba Syrah 2004
Castas: 100% Syrah - Estágio: 4 meses em madeira de carvalho francês e americano com 5 meses em garrafa - 14% Vol.

Tonalidade ruby escuro de média concentração.
Nariz de média intensidade, fruta presente com ligeira compota, prontamente suplantada por ligeira austeridade química. Fundo com vegetal em conjunto com especiarias, ligeira frescura com boa presença das notas derivadas da madeira, torrado, baunilha e algum cacau.
Boca com entrada de estrutura média, rasto especiado com toque químico, que em conjunto com ligeira fruta e vegetal se arrasta pelo palato. Médio no que toca a frescura de conjunto, em final médio/baixo.

O meu optimismo leva a dizer que talvez seja uma fase menos boa deste vinho, talvez esteja em revolução e em afinações de conjunto, quando lançado não era assim... revela pois também ele a passagem do tempo.
São muitos talvez para um vinho, que no conjunto se mostrou menos agradável que o 2003.
14

Em jeito de conclusão, são vinhos que ganham claramente se consumidos no primeiro ano de vida, podem sem problemas ser deixados esquecidos na garrafeira, mas neste caso ganham muito pouco. Temos outros exemplos deste produtor que com o passar do tempo ganham claramente em refinamento e complexidade, Trincadeira-Alicante Bouschet.

Sem comentários:

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.