Copo de 3: Chateau Troplong-Mondot 1994

04 outubro 2007

Chateau Troplong-Mondot 1994

O próximo vinho é uma entrada nos vinhos de Bordéus, mais propriamente nos vinhos de Saint-Émilion, localizada na margem direita do Rio Dordogne, 50 quilômetros a leste da cidade de Bordeaux, na costa oeste da França.
Para classificar os seus vinhos, três categorias básicas foram estabelecidas: Premier Grand Cru Classé, Grand Cru Classé e Grand Cru, sendo que pela nova classificação em vigor desde Setembro 2006 como 1er Grand Cru Classé B.
É dos 30 hectares de vinha deste Château, com uma idade média de 45 anos e chegando as mais velhas aos 90 anos, que sai este Château Troplong Mondot.

Château Troplong Mondot 1994
Castas: 10% Cabernet Sauvignon, 80% de Merlot e 10% de Cabernet Franc - Estágio: 75% em barrica nova com duração do estágio a depender da colheita, podendo chegar aos 20 meses. - 13% Vol.

Tonalidade ruby escuro de concentração média/alta.
Nariz que nos mostra um vinho de belo impacto inicial, que vale a pena seguir a sua evolução no copo, ao principio mais fechado vai desenvolvendo um bouquet de bela complexidade e harmonia. Aroma inicialmente terroso que dá lugar a fruta (cassis, cereja) de muito boa qualidade e presença, com toque especiado, em segundo plano surge couro, caça, floral tímido. Sensação de licor muito ténue em conjunto com tabaco seco, com um toque fumado de fundo.
Boca de bela entrada, seguro na sua estrutura, taninos presentes que quase não chegam a incomodar, imediatamente atendidos por uma acidez que vem dar um toque fresco à presença na boca. Complementa em grande harmonia a prova de nariz, com a presença da fruta, couro, terroso e leve tabaco, fumo também, e no final um toque vegetal. Um vinho com complexidade, sem ser de grandes euforias está tudo lá. Final de boca médio/longo.

Um vinho com 13 anos que mostra uma bela forma, apesar de um pouco prematuro na forma como se mostra (aromas algo evoluidos e fora de tempo), facto aliado a uma rolha um pouco suspeita. É um vinho que pela sua prova mostra que ainda precisa de tempo em garrafa, vai crescer ainda mais, vai afinar e refinar o seu bouquet. Neste momento pela prova que deu (principalmente na prova de boca), é um vinho entre a elegância e o austero. Aqui não se vai encontrar um vinho cheio de força ou de grandes extracções, apenas o refinamento e a elegância, que obviamente se vão instalando com a passagem do tempo. O preço ronda os 40-50€
17

1 comentário:

Chapim disse...

Este blog anda com um nível de vinhos...

Para mim foi das primeiras abordagens a um Bordéus sério. A finura dos taninos é de assinalar juntamente com um nariz complexo.
Apesar da idade pareceu-me algo rude. Mas claramente de outro campeonato.

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.