Copo de 3: Vinum Callipole 2008 - O rescaldo

05 maio 2008

Vinum Callipole 2008 - O rescaldo

Foi no passado dia 26 de Abril que se realizou nos Claustros do Convento dos Capuchos em Vila Viçosa, e pelo segundo ano consecutivo o evento vínico Vinum Callipole 2008.
Um evento que acima de tudo pretende trazer e dar a conhecer os vinhos de Portugal aos consumidores do Alentejo, novos aromas e novos sabores podem ser dados a conhecer a quem ao Vinum se deslocou nesse fim de semana.
Evento de apenas um dia, contou com a presença de 12 produtores (menos 3 que na passada edição), e onde tivemos presentes vinhos representantes do Douro, Dão, Setúbal, Vinhos Verdes e Alentejo.

As temperaturas que se fizeram sentir este ano, foram bem mais amenas e fizeram com que a temperatura de serviço dos vinhos presentes fosse bem mais agradável, penso que o facto de se ter gasto menos gelo é bem significativo.

Tal como ficou prometido no ano passado, este ano tivemos algumas surpresas, o natural limar de algumas arestas e constante aprendizagem com os pequenos problemas que foram aparecendo durante o evento do ano passado, permitiram ir melhorando sempre mais um pouco.
Assim sendo este ano o Vinum 2008 teve mais alguns apoios, especial agradecimento para a empresa Poeiras Máquinas e Ferramentas, á Confraria do Pão que colocou à disposição o pão, tanto para provas como para o jantar, e os queijos (amanteigados, semi-curados e curado em sal) da Queijaria Monte da Vinha, fizeram a delícia dos produtores e visitantes.

Foi com satisfação que vi um pequeno desafio que seria basicamente o apresentar um vinho de uma colheita mais antiga para se poder comparar com uma colheita mais recente, facto que poderia indicar ao consumidor o que poderia esperar daquele vinho com alguns anos de garrafa. Este desafio viria a ser aceite por alguns dos presentes e desta forma foi possível comparar um Quinta da Gaivosa 1992 com um 2003 ou mesmo para os menos atentos às novidades no mercado, a satisfação de provar lado a lado Altas Quintas 2004 e 2005 ou Anima L4 e Anima L5.
Seria ainda difícil resistir aos encantos do primeiro branco Alves Sousa Reserva Pessoal 2001 ou à tentação de provar em amostra o Redoma Reserva 2007, e olhar com atenção para um vinho que por um grande azar na rolha não chegou a ser vendido, falo do Incógnito 2004, que apesar disso ainda se conseguiram provar algumas das garrafas que se conseguiram safar de tão ma sorte.
Entre nomes sonantes, iam desfilando os Zambujeiro e Cavalo Maluco, Marias da Malhadinha e Herdade das Servas, Dona Berta Rabigato e Reserva Tinto, Garrafeira da Quinta dos Roques e o seu Encruzado 2007, Quinta da Vegia Reserva 2005, San Joanne Superior Branco 2005, Altas Quintas Reserva 2005 e Cortes de Cima Reserva 2004.
Para os apreciadores dos vinhos Batuta e Charme a notícia menos boa é que da colheita 2006 dificilmente vai sair qualquer coisa, pelo que nos resta esperar pelos diamantes de 2007.

Mais um ano, em que foi bom verificar a satisfação tanto de produtores presentes, como de visitantes (este ano em maior número). O testemunho daqueles que nos visitaram é também um motivo mais que suficiente para dar força para continuar para o próximo ano.

Resta-me agradecer a todos os que fizeram com que este evento se tornasse realidade, em especial ao Sr. Padre Mário, que cedeu o espaço e apoiou desde o inicio esta iniciativa.
Para o ano cá estaremos com o Vinum 2009, que vai mudar de local para os Claustros do Convento dos Agostinhos, aquele que foi o primeiro mosteiro de Vila Viçosa (1267), anterior ao foral afonsino de 1270, concedido porventura, entre outras razões, pelo facto da existência do convento primitivo; sofreu importantes transformações no tempo de D. Jaime, no século XVII quando se tornou panteão dos duques e nos reinados posteriores de D. João V, D. José e D. Maria I. Após a extinção das ordens religiosas (1834) passou à posse da Casa de Bragança, foi quartel até 1939 e de 1951 ocupado pelo Seminário Menor de São José, cedido definitivamente à Arquidiocese de Évora em 1963. A sua Igreja é considerada Monumento Nacional e é um exemplo do estilo barroco, de fachada um pouco pesada mas imponente, flanqueada por duas altivas torres sineiras. É também desde 1677 panteão dos Duques de Bragança.

A todos um muito obrigado e até para o ano.

2 comentários:

Pratas disse...

Parabéns pela iniciativa. Continuo com vontade de visitar este evento, a ver se para o ano será possível.

Abraço

tavguinu disse...

Muitos parabéns !

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.