Copo de 3: Quinta das Tecedeiras Reserva 2003

02 dezembro 2008

Quinta das Tecedeiras Reserva 2003

A Quinta da Teixeira Velha, localiza-se na região do Cima-Corgo, em Ervedosa do Douro no concelho de São João da Pesqueira, era o nome pelo qual a quinta era conhecida até ao final do século XIX, altura em que adoptou o nome de Quinta das Tecedeiras. O nome remonta ao passado quando a quinta esteve na presença do condado de S. Pedro das Águias e por tal habitada por freiras e monges. Nesse tempo o cultivo do linho era o produto mais rentável, que tecido pelas freiras (tecedeiras) garantia o sustento da comunidade.
Nos dias de hoje, a Quinta conta com uma totalidade de 66ha onde 15ha são de vinha (100% castas tintas), onde 5 ha tem mais dde 80 anos (com mistura de castas, Tinta Amarela, Tinta Roriz, Touriga Nacional Souzão, Rufete, Touriga Franca e Tinto Cão) e os outros 10 ha vinha com 20 anos de idade, estando a ser plantados mais quatro, mantendo o encepamento já existente. A primeira vindima foi feita em 2001, na antiga adega entretanto reformulada respeitando e aproveitando as infra-estruturas aí existentes.
Na foto do lado temos a flor que aparece no rótulo, nada mais que a flor do linho.

Quinta das Tecedeiras Reserva 2003 Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Franca, Tinto Cão, Tinta Barroca, Tinta Amarela. - Estágio: fermentação maloláctica decorreu em barricas de carvalho francês, aí permanecendo 10 meses. - 14% Vol.

Tonalidade ruby escuro de concentração média/alta.

Nariz com aroma de bela intensidade, parece querer mostrar ao início umas ligeiras notas químicas que se dissipam rapidamente, mostrando um conjunto de fino recorte e de bela complexidade, onde aromas vegetais a recordar o aroma da esteva e da carqueja, se juntam a uma fruta bem madura (cereja, groselha) com ligeira compota presente. Complementa-se com o travo das especiarias (cravinho, pimentas) entrelaçado na ligeira brisa floral (violetas), denotando uma barrica muito bem acomodada, diga-se de passagem que se mostra de enorme elegância, aportando notas de baunilha, cacau e algum café moído, recordando novamente a sensação morna e de alguma cremosidade presente no mocaccino, com todo o seu consequente envolvimento no restante conjunto, num final fresco que consegue juntar um ligeiro toque balsâmico.

Boca de estrutura bastante harmoniosa, frescura presente durante a prova numa toada ligeira mas mais que suficiente, num todo que se mostra com fruta (groselha, amora, cereja) bem presente. Envolvendo-se o conjunto com notas de especiaria, mocaccino aqui também bem presente aportando as sensações de cremosidade, tal como na prova de nariz. A passagem de boca é bastante afinada e de bela espacialidade, com taninos bem comportados em fundo de recordação balsâmica, com final de persistência média/alta.

Com a produção a rondar as 6.000 garrafas e um preço a rondar os 20-25€, grandiosa relação preço/qualidade diga-se de passagem, fazem deste vinho uma aposta mais que obrigatória, fonte de prazer assegurado enquanto novo ou mesmo após tirar umas férias na nossa garrafeira. Assumidamente este é um dos meus vinhos de eleição, e é pena que fique muitas vezes afastado das mesmas luzes da ribalta que outros vinhos, assumidamente mais caros, têm costantemente direito.
17,5

6 comentários:

magnacasta.com disse...

Viva,

Concordo plenamente. Isto em prova cega envergonha muitos com o dobro do preço.
No Encontro com o Vinho lá estava o 2005 a dar cartas na prova dos profissionais.
Tenho de começar a pensar seriamente em vender vinho. Se te vendesse por 25€ tinha mais de 10€ de margem.

Cumprimentos,

Nuno Monteiro

Copo de 3 disse...

Caro Nuno Monteiro, sejas bem vindo.

O Tecedeiras Reserva a 15€ ? é preço de porta de adega ?

magnacasta.com disse...

Pois, pelo menos aqui na zona de Lisboa é impossível arranjar este preço.
Como vou regularmente à Bairrada, os meus sogros vivem lá, comprei 2 garrafas por 14€ na semana passada na loja da Quinta do Encontro. Eles lá têm todos os vinhos que produzem.
Mas também já comprei pelo mesmo preço em lojas lá da zona.
Quando compro quantidades maiores de vinho, só a diferença paga-me a viagem.

Nuno Monteiro

Copo de 3 disse...

Ora muito boa informação a prestada, já deixa vontade de ir à loja comprar uns exemplares.

Agradeço, e volta sempre.

Arnaud disse...

Olá João,

Provei-o a poucos mêses e fiquei tambem com uma muito boa impressão. Bela complexidade aromática, estruturado mas muito fino e elegante.
Para um vinho de 2003 não se mostrou nada enjoativo ou cansativo.

Arnaud

Fernando Machado disse...

excelente vinho e o preço na Quinta do Encontro são os 14€... já agora quando forem lá tragam também o vinho Preto Branco da Quinta do Encontro... diferente e muito bom. abraço
Fernando Machado

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.