Copo de 3: Soalheiro Primeiras Vinhas 2007

18 junho 2009

Soalheiro Primeiras Vinhas 2007

O vinho que agora coloco em prova é em meu ver um dos melhores vinhos brancos de Portugal, rivalizando com o que temos de melhor e obviamente que teria lugar marcado numa escolha tão apertada como por exemplo de 3 vinhos. O aviso já tinha sido feito com a colheita de 2006, com os resultados da primeira colheita de Soalheiro Primeiras Vinhas a mostrarem vontade e apetência para voos mais altos, assim o permitice a colheita, e em 2007 o pedido foi ouvido e a vontade tornou-se realidade.
Certamente não será obra do acaso, mas também vinhos com esta qualidade não é todos os dias que aparecem seja em que lugar for. Resta ao consumidor, regozijar-se com esta altíssima qualidade a um preço "louco" que ronda os 12-14€ em boas garrafeiras, e aqui convém lembrar que tantos outros vinhos que nem metade dos pergaminhos qualitativos que este apresenta, custam muito mais. Pode-se até mostrar o quão errado está a teoria defendida por muitos, que um vinho por ser "barato" não pode ter notas altas, em que aqui tudo é contrariado, o vinho em causa é na realidade mais barato que muitos outros e apresenta uma qualidade muito acima de tantos e tantos outros vinhos feitos em Portugal de preço bem mais elevado.
É de dizer que nunca o consumidor teve tanta facilidade de acesso a um vinho de alto gabarito como é este Soalheiro Primeiras Vinhas 2007.

Soalheiro Primeiras Vinhas 2007
Castas: 100% Alvarinho - Estágio: 15% fermentação em barrica usada - 12,5% Vol.


Tonalidade amarelo citrino de nuances esverdeadas.

Nariz de aroma refrescante e de belíssima intensidade, centrando-se numa fruta muito madura de altíssima qualidade, quase palpável, onde a tropicalidade do maracujá e abacaxi se misturam com a frescura dos citrinos. Todo o conjunto parece ser abraçado por uma fina e elegante mineralidade que balança com ligeiro vegetal fresco lá no segundo plano, desenvolvendo-se com tempo no copo e aumento da temperatura, uma sensação de untuosidade/cremosidade muito subtil. Um conjunto de belíssima sintonia e profundidade de aromas, mostrando uma complexidade fina e refinada, capaz de fazer as delícias dos menos atentos.

Boca de entrada fresca e mineral, com a fruta sumarenta a largar a alma de modo a que se entenda o que por ali vai passando. E se por um lado temos uma austeridade mineral a lembrar uma bancada de granito molhado, temos também o toque da acidez bem cítrica a acompanhar-nos durante toda a prova. Um vinho de aromas limpos e cristalinos, estruturalmente muito bem equilibrado e com uma animadora capacidade de evolução nos próximos tempos, revelando-se fresco e revigorante, saboroso e sedutor.

A qualidade está patente por todo o lado no que toca à prova deste Alvarinho de luxo, podendo ser consumido desde já ou guardado durante mais uns bons anos, a exemplo do Soalheiro Alvarinho. É uma compra mais que obrigatória, que se portou muito bem na companhia de uma boa variedade de bichos do mar.
18

9 comentários:

Anónimo disse...

Bem

Parece que dar pontuações altas ao Soalheiro passou a ser obrigatório para um "bom" crítico de vinhos...
Gostava de ver este vinho provado às cegas com adversários do lado de cá e do lado de lá da fronteira.
Ia levar muita porradinha.

Copo de 3 disse...

O que aqui se torna obrigatório, é o saber reconhecer a qualidade quando ela existe e está bem patente, isso sim é obrigatório.

Pela modos como fala, dá a entender que há muitos e melhores que este Primeiras Vinhas 2007. Diga lá então no seu entender quais são esses Alvarinhos que dão muita porradinha, ou falou apenas por falar ?

Será algum dos seguintes:
Fillaboa - Finca Monte Alto ?
Pazo Senorans Seleccion de Anada ?
Sketch ?
Nora da Neve ?
Lusco ?
Zarate El Palomar ?
Do Ferreiro Vinhas Velhas ?
Leirana ?

E de cá qual será ?

Não seja tímido, eu fico à espera da resposta, é que se há melhor eu quero saber qual ou quais são.

Anónimo disse...

Excelente prova e vinho maravilhoso como já pude constatar...este podia-se chamar Pera Manca.
C
JFreitas

Copo de 3 disse...

Calma que o Pêra Manca de 2007 é um excelente vinho, quanto à nota final é aguardar até à sua publicação.

Valter Costa disse...

O Soalheiro anda a provocar muita azia a muitas pessoas. A inveja em Portugal é lixada.

Pedro Sousa P.T. disse...

Fui um dos privilegiados a beber este vinho. Quanto a mim: JP, o teu 18 é muito bem dado.

Vou apelar ao pessoal vinícola, e não só, não percam este, nem por nada...

Abraço

Ligurio disse...

É curioso que se for a Baiona ou la Guardia e pedir um Alvarinho os Espanhois perguntam que não queremos um Muralhas.

Os do lado de lá são normalmente mais acidos e alguns até custa a beber.

O ultimo foi um Matin Codax e não correu muito bem.

http://drinkedin.blogspot.com/2009/02/martin-condax-albarino.html

Pratas disse...

Sou um fã do Soalheiro. Com estas notas de prova fica a certeza que vou comprar uma garrafa deste Primeiras Vinhas.

Copo de 3 disse...

Ligurio, tenta em Espanha comprar o Leiranas Albariño e depois conta como correu a prova.

Pratas, olha que o 2008 já anda pelo mercado.
A ver se o caço para a respectiva nota de prova.

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.