Copo de 3: Vinha de Saturno 2006

08 fevereiro 2010

Vinha de Saturno 2006

Segundo o que se pode ler no site da Dão Sul, a Herdade Monte da Cal é uma propriedade localizada em São Saturnino, perto de Fronteira, encontra-se no norte do Alentejo, com uma área de 100ha. Os solos são fortemente dominados pela argila com xisto à mistura e o clima muito quente no Verão, obriga a que a mão mágica do homem restabeleça o equilíbrio e abra caminho à harmonia e ao equilíbrio da natureza.
É da colheita de 2006 que a conversa se repete e em prova se coloca o novo topo de gama deste produtor por terras Alentejanas, baptizado com o nome da vinha que lhe deu origem, a Vinha de Saturno.
Como refere o rótulo, Saturno é o sexto planeta do Sistema Solar e, antes da invenção do telescópio, era o mais distante dos planetas conhecidos. A olho nu não parecia ser luminoso. O primeiro a observar os seus anéis foi Galileu em 1610; porem a baixa resolução do seu telescópio, fizeram-no pensar que se tratava de grandes luas.
É o segundo maior planeta do Sistema Solar, faz parte dos denominados planetas exteriores e o seu nome deriva do deus romano, Saturno.
Considerado como Deus da Agricultura e do Tempo, tem como dia consagrado o Sábado, que no tempo dos romanos seria chamado de dies Saturni, enquanto que os anglo-saxónicos chamavam de Saeterndaeg ou Saterndaeg, que iria derivar para o Saturday dos dias de hoje.
Tal como Saturno e as suas qualidades saturninas, será caracterizado pela escuridão, frio e peso.

Vinha de Saturno
Castas: Trincadeira, Aragonês, Alicante Bouschet e Baga - Estágio: 12 meses barricas novas de carvalho francês - 14,5%Vol.

Tonalidade granada escuro de concentração média/alta.

Nariz de aroma inicialmente fechado e com um ligeiro travo químico, pede que o deixem arejar no copo, surgem depois apara de lápis acompanhadas de bálsamo vegetal, especiaria e tosta da barrica a mostrar boa integração com a fruta que se cheira madura (cereja, amora, ameixa) de qualidade com compota bem fresca. Um conjunto que encerra uma boa complexidade, com segundo plano marcado por travo vegetal seco, onde tudo parece querer buscar ainda o melhor sítio para se mostrar, com fundo mineral.

Boca de estrutura coesa, amplo na presença e conquistador nas sensações que transmite. Equilibrado e sem devaneios, a frescura acompanha a prova de início ao fim, sente-se a fruta bem fresca com balsâmico, vegetal seco, torrados, chocolate preto, compota ligeira, especiarias e toque mineral fresco em fundo, mostrando boa persistência final, num conjunto que precisa de algum tempo para melhorar a prova que dá.

É sem dúvida um belo vinho, com uma garrafa que pelo seu peso quase que invoca o próprio Saturno. Um vinho que tem o seu toque muito pessoal fugindo um pouco da grande maioria dos vinhos da região. Agora ou daqui a uns anos, merece ser provado não a solo mas à mesa e em boa companhia. O preço deverá rondar os 35-40€.
17 - 92 pts

2 comentários:

Miguel Pereira disse...

Sabes qual é a % da Baga? Sente-se o perfil dela no vinho?

Abraço

João de Carvalho disse...

Miguel não sei qual a percentagem de baga, lembro vagamente de a ter pois em conversa com o enólogo no ECVS ele mesmo falou nessa presença, penso também que é comum a todos os anteriores Vinha de Saturno.

Quanto ao perfil da Baga no vinho, direi que está lá o suficiente para lhe dar o toque que o diferencia dos restantes vinhos, a ter também em conta a zona onde nasceu.

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.