Copo de 3: Periquita branco 2011

01 Março 2012

Periquita branco 2011

Os brancos de 2011 começam a aparecer no mercado a bom ritmo, recentemente chegou-me este Periquita branco 2011. Para acompanhar este lançamento da José Maria da Fonseca optei por uma salada, o vinho não pede coisas muito elaboradas, peguei em miolo de camarão saltitei em azeite, molho de tomate e alho finamente picado,  deixei caramelizar a baixa temperatura e retirei, juntei com alface, fio de azeite, ananás, molho cocktail e alguns coentros picados. Tudo a ligar  bem com o vinho, o toque caramelizado do miolo de camarão com a frescura do ananás e respectiva acidez, boa a combinação entre os coentros e o toque mais cheiroso do vinho. Para os menos informados a marca Periquita nasceu na Cova da Periquita, foi  registada em 1940 e é nos dias de hoje a mais antiga marca de vinho de mesa em Portugal. Uma marca que vingou como tinto e que os tempos modernos fizeram com que trabalhe já a 3 côres: tinto, branco e rosado, é este o preço a pagar pelos tempos modernos, saudosas garrafas borgonhesas, agora é tudo mais fino, mais delicado e virado para um consumidor  moderno, citadino e farto de brincar aos clássicos, por mim nada contra.

No copo surge um vinho fresco e aromático, Moscatel de Setúbal,Viognier,Verdelho e Viosinho... carregado de exotismo e que antes de ir para a garrafa só conheceu o frio do inox. Jovem e fresquinho, cheiroso e airoso, a tranbordar a água de colónia. O que mais se destaca é o lado frutado, fruta madura e fresca, citrinos ,muita lima limão, laranja, exótico com tropicalidade da banana e do ananás, flores frescas com boa exuberância. Na boca é fresco, mostra energia e vida com a fruta a estalar no palato, sem exageros e mediano na presença... boa acidez com mediano final de boca. Tem tudo no sítio, certinho e direitinho a mostrar aquele toque de diferença que o torna apelativo. Direi mesmo que fica complicado não lhe ficar indiferente mesmo que a sua candura e simplicidade lhe retirem asas para outros andamentos... mostrou-se no entando melhor que na anterior colheita, o preço mais que recomendado fica-se nos 3,99€ em grande superfície comercial. Vinho de Verão, de Esplanada... vinho descontraído, beba-se pois então.  88 pts

6 comentários:

João Veloso disse...

Aqui perto de casa há este vinho,mas,da safra 2005.Pensas que devo me arriscar em tal compra?

João Veloso.

Brasil

João de Carvalho disse...

Pela prova que deu considero que seja vinho para beber no ano, até que saia nova colheita no mercado. Por ventura será arriscado mas ao mesmo tempo a curiosidade de saber como estará de saúde... obviamente que tudo depende do preço que pedem pelo branco de 2005 que salvo erro terá sido a primeira colheita do Periquita branco.

francisco disse...

Olá João,

Seria possivel dizer-me onde é que se consegue encontrar este vinho? Tenho procurado e só encontro do de 2010, o qual não é feito com as castas que aqui refere para o de 2011.

Muito obrigado

João de Carvalho disse...

Penso que no Continente costuma estar presente...

francisco disse...

Olá João,

Encontrei no Makro a 3,89eur.
Reparei que no contra-rótulo vêm apenas mencionadas as castas Moscatel e Verdelho, mas assumo que seja ainda assim o vinho que aqui apresenta.

Cmpts

João de Carvalho disse...

Francisco, claro que o vinho é o mesmo e o seu lote é o que aqui apresentei. Deixo aqui a ficha técnica do vinho em causa.

http://www.jmf.pt/pdfs/garrafas/PEB_08P.pdf

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.