Copo de 3: Soalheiro 2011

29 Março 2012

Soalheiro 2011

Escrever sobre este vinho começa a ser costumeiro, não apresenta nada de novo a quem o conhece bem e para quem não o conhece apenas digo que está a perder a oportunidade de beber um dos melhores brancos feitos em Portugal e no mundo... sim no Mundo. Pelo preço que nos custa a roçar os 9€, um pouco menos, ainda por cima vendido em grande superfície comercial que o coloca bastante acessível, depois é dizer que são mais de 25 anos de marca com consistência e um potencial de envelhecimento mais do que provado e comprovado (o 2007 está algo de fantástico), é por tudo isto uma RPQ explosiva de um vinho de terroir, identidade marcada e e que apenas se consegue feito onde é feito. Pessoalmente a minha escolha recai neste Soalheiro, o normal, o mais "simples", mas o que me continua a dar as garantias da tal boa longevidade, deixando de lado o Soalheiro Primeiras Vinhas que ainda não me conseguiu convencer plenamente da excelência que muitos lhe apontam... poderei estar enganado, mas apenas o tempo o poderá demonstrar. 

Dito isto esta colheita 2011 foi bebida, não provada, com as triviais Ameijoas à Bulhão Pato,  acho que já é ritual cá em casa a primeira garrafa de Soalheiro da nova colheita ser bebida com as ditas. A ligação continua a ser fantástica, o vinho tem as variantes normais dos anos de colheita, a de 2011 foi declarada clássica pelo produtor, mais preciso, equilibrado e com exuberante fruta tropical e citrina bem viva e fresca com mais pureza tanto no nariz como no palato, mais definido, acidez limonada, mineralidade presente num conjunto que mostra raça, músculo e nervo. Gosto da combinação entre a fruta madura, o seu toque doce natural com a aquela acidez que lhe confere uma enorme frescura que se prolonga no final... acompanha lindamente as ameijoas com o toque do alho e dos coentros frescos, com algum vegetal fresco que o vinho também mostra ter... harmonia de sabores e aromas refrescantes num final de tarde amornado e Primaveril. Não falha, nem na prova que dá nem cá por casa, tornará a ser uma vez um ponto obrigatório quando entrarem em campo bichezas do mar de grande ou pequeno porte. Afinal de contas beber um grande vinho é mais acessível do que parece... 93pts

4 comentários:

ricardo disse...

O Soalheiro, faz lembrar aqueles anúncios antigos da Regisconta:


"É aquela máquina!"

Sem dúvida que é um vinho a comprar para beber e disfrutar com amigos!

João de Carvalho disse...

O esforço que tenho feito para conseguir aguentar algumas colheitas mais atrasadas...

airdiogo disse...

Também prefiro o Soalheiro "normal" aos restantes. Apesar de mais simples acho-o mais genuíno. E acaba por ter a melhor relação qualidade preço de todos.

Anónimo disse...

sou sincero, achei demasiado maracujá para o meu gosto. fechando os olhos, eu tinha a sensação de estar a beber um refresco de maracujá e não vinho verde... continua a ser um bom vinho, mas não gostei tanto como os anteriores e não daria mais do que um 15-16, na classificação.

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.