Copo de 3: #daowinelover meeting

29 Janeiro 2013

#daowinelover meeting


O Dão está na ribalta, os responsáveis pela proeza que desde já louvo e dou os parabéns, são dois amigos meus de longa data, dois "rapazes" do Dão, o Miguel Pereira e o Rui Miguel Massa, que apaixonados pelo Dão onde têm raízes familiares profundas, meteram mãos à obra e com a preciosa ajuda da Casa da Passarela que serviu de base logística e que acolheu um alargado número de produtores da região, ali ergueram aquele que foi um nobre evento em honra de uma região que tanto merece. Tudo começou no grupo do Facebook de nome #daowinelover e rapidamente dinamizaram o espaço, o normal ritmo das coisas levou a organizar o evento que agora falo. Não devemos esquecer que o Dão comemorou em 2008 o seu centenário enquanto região demarcada. 
O evento foi um sucesso, o requisito para participar seria levar uma garrafa de vinho do Dão, para que a mesma fosse colocada posteriormente em prova para todos os restantes participantes, aqui o sentido de partilha, envolto numa vontade de abrir o diálogo entre todos foi o mote que liderou um evento solto e descomprometido, objectivo Falar o Dão, cheirar, saborear os vinhos da região, ouvir o que os produtores que por lá andavam nos tinham que dizer, partilhar opinião com amigos e conhecidos que encontrávamos espalhados pela adega da Casa da Passarela. 

Organização impecável, nada ali parecia querer falhar, nem podia, secção de brancos e secção de tintos, à entrada iam sendo colocadas por ordem aleatória os vinhos que os participantes iam depositando no secretariado. Deambulei inicialmente pelos Brancos do Dão, gelo com fartura e vinhos a boa temperatura prontos a provar, eram 10:30 da manhã e direi que quase todos os grandes brancos estavam presentes, permitiu-se comparar estilos, encontrar perfis mais amigos do nosso gosto, saborear o que as várias sub-regiões do Dão nos têm para mostrar nas variadas interpretações dos diferentes enólogos. Faltavam 5 minutos para as 11:00 horas quando a chamada começava a ser feita, guardada estava uma magnífica prova à espera, um raro momento onde se provaram os míticos vinhos do CEVDão, aqui a merecer post posterior onde falarei sobre o que por lá aconteceu

Depois foi dar seguimento a um Dão com contrastes em tons de Tintos, o tempo nos tintos foi passado antes, durante e depois do almoço que nos foi servido. Impensável não mencionar o fantástico Queijo da Serra (Queijaria dos Lobos) que ali nos foi servido, onde tive que ir a correr buscar um branco de bom recorte e que felizes eles ficaram. A passada do tempo ia larga, para os resistentes ainda foi servida uma Sopa de Lavrador, consistente e reconfortante, estava na hora de despedida e tempo de rumar a casa. O Dão teve um dia em sua honra, que espero se multiplique, um dia bonito e com sol, quem sabe foi o agradecer da região aos organizadores deste nobre evento. Obrigado.

Sem comentários:

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.