Copo de 3: Quinta da Bica branco 2011

05 julho 2013

Quinta da Bica branco 2011

A corvina de bom porte acabou de sair do forno, assada com as respectivas batatas regadas com azeite, ficaram com aquele toque meio caramelizado que a cebola ajudou a dar... como eu gosto. Na mesa vai-se elogiando o branco, um Quinta da Bica (Dão), vinho que resulta do casamento Encruzado e Verdelho, sem passagem por madeira, poucas garrafas a rondar as 2.500 unidades com preço a rondar os 5€. Enquanto escrevo o peixe está já na mesa, carne branca delicada e suculenta, está no ponto e o vinho puxa pelo prato com um charme notável.

Gosto de brancos assim, aqui não encontro nem monotonia nem coisa semelhante a outros lados, não está passado a ferro de engomar e os aromas que debita são mais do que suficientes para captar a atenção do mais distraído. Nariz perfumado, encerra uma delicada complexidade que começa em flores brancas, passa por fruta (nectarina, citrino) madura e termina com toque de alecrim a perfumar. Pelo meio colherada de geleia que parece conferir-lhe sensação de algum volume. Na boca entra com fruta e flores no sentido do nariz, arredonda ligeiramente a meio palato onde não disfarça alguma untuosidade (a dar volume), final seco e muito longo com rasto mineral. 

A solo mostra-se raçudo com acidez a marcar bem o final de boca tornando-se bem persistente e mineral. É um vinho feito para a mesa, não sendo um vinho pesado torna-se delicado o suficiente para se conseguir ligar com o peixe enquanto ao mesmo tempo toda a sua frescura contrabalança com a batata e a cebola naquele toque caramelizado mais envolvente. Alguém à mesa perguntou se podia perfumar as batatas com algum alecrim para ligar com o que tinha encontrado enquanto cheirava o vinho, feita a vontade é hora de ir comer. 91 pts

10 comentários:

Anónimo disse...

Modas... Parece que agora é obrigatório ADORAR os vinhos do Dão. Especialmente os brancos que em geral são todos uma mXXda feita à base de castas bastante ordinarias especialmente a Encruzado. Será que nunca beberam vinho branco de qualidade ou andan a tratar de manipular o pessoal?
Nos tintos, o Dão produz também uma data de porcarias que os enófilos bloggers tentam colocar nos patamares dos melhores vinhos portugueses.

João Pedro Carvalho disse...

Esse azedume todo deve ser dos vinagres que anda a beber...

Sugiro que trate dessa sua maleita, um copo de Primus branco 2011 e outro de Conde de Santar tinto deve resolver o problema de forma rápida e bastante eficaz.

PS: As melhoras.

Anónimo disse...

Eu não digo... É mesmo obrigatório ADORAR essas tretas do Dão. Quem não cumpre, bebe vinagre. Giro.

J@n31r0 disse...

Além de azedos não gostam de se mostrar

Anónimo disse...

Varias coisinhas, Dãoentes:

O sistema de Blogues e a Internet em geral, admite o anonimato como forma de intervenção.

Em qualquer caso, o que é que iria acontecer se revelasse a minha identidade? Talvez porrada por não gostar dessa porcaría idolatrada? Uma bomba debaixo do meu automóvel?

Começa a ficar também bastante claro quem, na verdade, são os azedos e os carneirinhos mansos do rebanho do Dão.

João Pedro Araujo - Casa de Cello disse...

Anónimo, só pensas assim do Dão porque não bebes dos meus vinhos.

João Pedro Carvalho disse...

O anónimo mais uma vez está enganado, acontece que quem permite AQUI o anonimato sou eu... gosto de dar essa liberdade para que gente com a cara enfarruscada se manifeste em modo baboseira, ou seja, quando não mostra sequer argumentos válidos à conversa.

Cheira-me que a birra será aqui contra outra coisa que não propriamente os vinhos da região...

Paulo Coelho Vaz disse...

Cada um bebe o que quer, mas vir para um blog incomodar, só porque não se aprecia um certo estilo, diz tudo em relação às pessoas.
Provei o referido vinho no Domingo, a acompanhar um belo de um Robalo legítimo grelhado na brasa.
Gostei tanto que vou voltar a comprar!

Anónimo disse...

Certamente, Sr. Carvalho, o Blog é seu e são as suas regras.

Mas certamente também esta sua propriedade, com os seus comentários e regras, não lhe acrescentam a si as virtudes da razão e da objectividade.

Continuemos, então, a lêr todas estas campanhas de publicidade.

Emilio disse...

Mas Anónimo, a expressar a nossa opiniâo tod@s temos razâo. Razâo que perdes, acho, quando dizes que os vinhos do Dâo sâo uma mXXrda ou que os tintos sâo porcaria. Também nâo aportas as causas pelas que nâo gostas dos vinhos: mXXrda, porcaria, e nâo mais.
Eu gosto dos vinhos do Dâo. Sâo os vinhos que mais gosto de Portugal. Mas, visto que nâo tenho jeito nem verbal nem de conhecimento, nâo faço comentários, e aínda menos insultantes.
Rogo-te disculpas se nâo gostas do meu comentário e rogo a tod@s disculpas pelo meu português -típico dos espanhóis ;).

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.