Copo de 3: Herdade das Barras 2004

18 junho 2008

Herdade das Barras 2004

A empresa SAPOA (Sociedade Agro-pecuária do Oeste Alentejano, Lda.), fundada em 1994, deve a sua formação e existência à necessidade de uma gestão integrada dos vários ramos de negócios que desenvolve na sua propriedade Herdade das Barras situada no Alentejo, na freguesia de Vila Nova da Baronia, concelho de Alvito. Bem perto de uma das sub-regiões com mais tradição na produção de vinhos no Alentejo, dos seus cerca de 500 hectares foram seleccionados 25 para vinha, onde 21ha são de castas tintas e os restantes 4 de castas brancas.

Herdade das Barras 2004
Castas: Syrah, Alicante Bouschet e Aragonez - Estágio: barricas novas de carvalho americano e francês durante 24 meses com mais 6 meses em garrafa -14,5% Vol.

Tonalidade granada escuro de média/alta concentração.

Nariz com aroma de boa intensidade, revelando-se um conjunto muito interessante e que desperta de imediato a atenção. Fusão de aromas florais com a fruta (ameixa, amora) bem madura e ligeira compota mas não em excesso, afinação bastante apetecível com os empireumáticos derivados madeira por onde passou. As especiarias são o complemento a par de uma essência balsâmica que perdura no final, tudo isto num conjunto bem afinado e de complexidade fina e prazenteira.

Boca de entrada estruturada plena de frescura e harmonia, conquista pelo equilíbrio e presença de boca. Boa concentração de fruta em grande sintonia com a barrica, ligeiro toque vegetal complementa a passagem de boca perdendo-se em especiado e fundo balsâmico suave, de persistência média/alta.

Temos um vinho bastante apetecível, claramente uma aposta segura face à qualidade apresentada durante toda a sua prova. Não caindo em exageros nem tão pouco em esquecimentos, sabe mostrar aquilo que lhe foi ensinado pela mão sábia do enólogo Paulo Laureano. O preço deverá rondar os 15€ num vinho que claramente está para se beber agora como daqui a mais algum tempo.
16

5 comentários:

Pedro Rafael Barata (Blog Os Vinhos) disse...

Caro João, não sei se sabes mas acabei de ver agora que a Blue Wine deu a este vinho uma nota de 14 pontos.

Copo de 3 disse...

Amigo Pedro

Como em tudo na vida os gostos são como as cores...
Da prova que realizei deste vinho, dentro dos factores que tenho por norma estabelecida avaliar durante a prova, o resultado final foi a nota que está atribuida.

A revista Blue Wine a meu ver não é um exemplo onde as notas sejam coerentes com os vinhos em questão, relembrar por exemplo um 18 ao Montes Claros Reserva 2004 entre tantas outras notas um tanto ou quanto descabidas,nunca metendo a sua qualidade em causa, como é lógico.

Para que conste este mesmo vinho teve nota 16,5 atribuida pelo crítico de vinhos João Paulo Martins.

Tonto disse...

O que é a Blue Wine?

The Lone Ranger disse...

Dizem que é uma espécie de revista...

Pedro Cabral disse...

Digo-vos, nao percebo nada de vinhos, mas este foi o melhor que já provei até hoje. E já bebi vinhos mais caros.
Muito bom, acima disto só reliquias.

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.