Copo de 3: Quinta de Foz de Arouce 1992

29 dezembro 2014

Quinta de Foz de Arouce 1992


Este Quinta de Foz de Arouce 1992 é um claro exemplo de mais um dos grandes vinhos feitos em Portugal, com a capacidade e atrevimento que poucos conseguem ter passados 22 anos, é obra. Nasceu na Quinta de Foz de Arouce (Beiras), pertença de João Filipe Osório de Meneses Pitta, com enologia de João Portugal Ramos que em 1987 lança no mercado o primeiro Quinta de Foz de Arouce. As vinhas velhas que lhe deram origem foram plantadas em 1940, manda a Baga localizada em solo predominantemente xistoso com aluvião. Com a plantação de novo vinhedo em 2000 surge com a colheita 2003 um novo conceito, o vinho das vinhas velhas passa a ser chamado Quinta de Foz de ArouceVinhas Velhas de Santa Maria, enquanto o vinho proveniente das vinhas novas o Quinta de Foz de Arouce.

Exemplo de uma Baga adulta e séria, aromas limpos com muita complexidade e frescura a embrulhar todo o conjunto. Debita muita classe no copo, bouquet de gabarito, aromas frescos e refinados, marcados pelo tempo mas sem nunca perderem o encanto, flores, fruta com mirtilos e cereja bem sumarenta em destaque, especiarias e algum terroso à mistura, muita classe num conjunto requintado e conquistador. Na boca repete uma prova de prazer, frescura com a fruta bem madura a marcar presença, especiaria com notas terrosas, profundo e conversador. 95 pts

7 comentários:

Flavio Henrique disse...

Uau! Este então de 1992 foi feito com as uvas que hoje fazem o Vinhas Velhas de Santa Maria? Não imaginava que fosse tão longevo. Vou guardar por uns bons anos o que VV de Santa Maria que tenho de 2005.
Saudações,
Flavio

Anónimo disse...

este ano bebi um 2008 e foi dos melhores vinhos que abri cá em casa no ano todo. a 10 euros... muito bom.

na napoleao da baixa havia este 92, havia 95 e pelo menos uma de 1989. mas o preço já é outro...

João Pedro Carvalho disse...

Olá Flávio, vale sempre a pena guardar ate mesmo o branco, ate porque em 2007 uma parte da vinha velha foi reconvertida.

Flavio Henrique disse...

Caro João Pedro,
Muito bem lembrado sobre o branco deles, que acho maravilhoso! Vai entrar na minha garrafeira, do ladinho do Bágeiras Garrafeira...
Sds,
Flavio

João Pedro Carvalho disse...

Flavio, o branco é Cerceal e tem uma evolução notável em garrafa, pelo menos é o que tenho constatado. Acerca do preço, curiosidade, o Foz de Arouce tinto 1991 custava na altura numa Feira de Vinho coisa de 8,35€

Flavio Henrique disse...

8,35 por um vinhão destes? Que maravilha! Só para você ter uma idéia, aqui no Brasil pagamos cerca de 30 Euros pelo Foz de Arouce normal, 45 pelo branco e 65 pelo Santa Maria (que julgam barato comparado com o preço de outros tops portugueses aqui).
Quanto à Cerceal, bebi duas semanas atrás um Campolargo 2009. Exuberante, mas clamava por mais tempo em garrafeira.
Sds,
Flavio

Anónimo disse...

que coincidência, bebi o mesmo vinho nesta quadra natalícia! e que vinho... foi interessante, porque como só arranjei uma garrafa combinei-o com um Garrafeira '94 da Quinta de Baixo. dois Bagas, duas colheitas com certas semelhanças, dois terrenos e solos diferentes -- dois grandes vinhos. mesmo assim, o Quinta de Baixo ainda bastante mais complexo, com personalidade mais marcada do que este...

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.