Copo de 3: Confusão na prova dos Rosés...

17 Agosto 2005

Confusão na prova dos Rosés...

De acordo com uma Revista da especialidade o Conde de Vimioso Rosé teve a nota de 14,5 o que dentro da sua classificação quer dizer, Bom, equilibrado e bem feito, bebe-se com prazer.
Mas como se pode beber este vinho com prazer, se o álcool está mais que presente, prejudicando a prova, mesmo com o vinho fresco, sendo o mesmo desequilibrado ??? Será que provaram outro vinho ???
Pelo que parece não vou sendo o único a ter esta opinião, o que me deixa mais descansado.

Outro exemplo que ainda estou para entender, é o dos Rosés Redoma 2004 e do Quinta do Portal 2004, sendo que o primeiro teve a nota de 14,5 , e o segundo 13,5 (Médio, honesto, simples, correcto, sem grandes pretensões), enquanto que o Alorna Touriga Nacional 2004 ficou considerado como Recomendado, e na tal Revista foi vencedor da prova.
Estes mesmo vinhos, numa prova com 250 Rosés realizada pela Decanter, conseguiram o Decanter Award e as notas são:
Quinta do Portal, Tinta Roriz, Touriga Nacional-Touriga Franca, Douro (2004)(Portugal) Vibrant, intense strawberry nose. Very fresh, clean, tangy fruit and a pleasant refreshing bitter twist at the end. Lovely. Drink now.

Niepoort, Redoma, Douro (2004)(Portugal) Quite open, expressive rhubarb aromas, attractive. Fresh, crunchy fruit, clean raspberry and rhubarb notes. Some weight and a little tanninc structure. Drink now.

Lendo isto, deixa algo que pensar, e que a razão seja dada pelo simples facto de o gosto pessoal é quem manda, e não me venham dizer que não.

5 comentários:

Miguel disse...

Realmente dá que pensar estas notas tão díspares...

Anónimo disse...

Estou de acordo com o miguel. Como consegue um vinho num sítio ser vencedor de uma prova e noutro lado apenas fica a meio da tabela ?
Será que quando um vinho é bom, não é bom em todo o lado ?

Copo de 3 disse...

Eu posso dizer que provei os vinhos em questão e o Alorna Touriga Nacional revela-se bem superior ao Redoma um pouco caro, ou ao Quinta do Portal que eu acho mesmo muito fraquinho, já o Vimioso o achei desequilibrado e também não entendi a nota da Revista.
Mas temos de aceitar os gostos das pessoas que os provaram.

Anónimo disse...

Para um vinho que se quer fresco qual a vantagem de usar madeira ?

Copo de 3 disse...

Penso que a madeira em nada beneficia os vinhos Rosé,acho que ficam pesados e sem graça, mas cada produtor tem o seu gosto e as suas escolhas, e talvez seja uma experiência que esteja a fazer...

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.