Copo de 3: Château Le Bon Pasteur 1999

14 novembro 2007

Château Le Bon Pasteur 1999

Continuando este mini tour por terras de França, visitamos agora Bordéus, região que dispensa muitos comentários visto a sua notoriedade a nível Mundial.
Entrando em Bordéus, rumamos para Pomerol, uma das mais famosas sub-regiões (appelation) de Bordéus e também a mais pequena de todas, que curiosamente não conta com uma classificação oficial dos seus vinhos. É daqui que saem vinhos como Le Pin ou Pétrus, nomes que que fazem parte dos sonhos de muitos e da realidade de uma minoria.
É aqui que se encontra o Château Le Bon Pasteur, pertencente ao famoso enólogo Michel Rolland, conta com 7ha de Merlot e Cabernet Franc inseridas no Caminho de Santiago de Compostela, a vieira no rótulo apenas o confirma.

Château Le Bon Pasteur 1999
Castas: Merlot (80%) e Cabernet Franc (20%) - Estágio: 18 meses barricas novas - 13,5% Vol.

Tonalidade ruby escuro de concentração média/alta.
Nariz que se apresenta inicialmente algo confuso, o vinho precisa de abrir e ainda mal acordou do seu sono profundo. As sensações que nos transmite vão desde fruta negra muito madura com toque de licor, a chocolate preto, fumados e alguma austeridade com químico presente. Passa o tempo e tudo melhora, o vinho ganha outra vida e tudo aparece mais solto e agradável. Sorvo agradável de baunilha com geleia e muita especiaria sem esmagar o restante, envolto em frescura e finesse, bouquet de grande nível, respira-se qualidade em todos os lados do copo.
Boca com entrada firme e muito bem estruturada, fruta madura com geleia daquela bem feita onde a fruta se mostra de excelente qualidade e o açúcar não domina, fina tosta e aquela sensação de alguma cremosidade do batido de baunilha com café e cacau. Tem espacialidade na boca, ocupa o seu espaço mas com nobreza, tudo muito bem composto e ensaiado, é fino e muito elegante em final de boca que quase não acaba e nos abana com uma frescura muito agradável.

Pensa-se que Compostela vem de Campus Stellae (Campo de Estrelas), e é neste caminho que o Château Le Bon Pasteur está inserido e muito bem, digo eu. Por tudo o que mostrou e pode ainda vir a mostrar é vinho com brilho próprio e que mostra ser alvo de dedicação de quem o faz e merece a mesma dedicação de quem o prova. São vinhos como este e tantos outros, que nos dão grandes lições durante e depois da sua prova, neste caso é como gastar 50€ bem gastos.
18

1 comentário:

Marcel Miwa & Nina Moori disse...

Quinze dias atrás degustamos um 2004. Muito jovem ainda...
abs,
Nina.

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.