Copo de 3: 5 BRANCOS A MENOS DE 2,5€

19 Setembro 2008

5 BRANCOS A MENOS DE 2,5€

Esta é a primeira das provas temáticas mensais que a partir de Setembro o Copo de 3 vai começar a apresentar.
A primeira prova que poderia muito bem ser com vinhos sonantes quer a nível de preço quer a nível de nome, seria bem vinda para encher a vista mas optou-se por algo mais dentro na normalidade, algo que muitos procuram e ficam a pensar será que vale a pena arriscar ?
Foram escolhidos 5 vinhos brancos da colheita de 2007, com um target muito bem definido, o consumo do dia a dia.

Foi naquela procura intensa e quase interminável de qual o vinho que consiga proporcionar a melhor companhia ao mais baixo preço, que foi colocada a questão em jeito de desafio.
A missão seria escolher 5 vinhos brancos sem passagem por madeira com um preço nunca superior a 2,5€, e disponíveis nas prateleiras das grandes superfícies.
Verdade seja dita, nos dias que correm a oferta no que toca a marcas de vinhos é cada vez maior, a constante entrada e saída de marcas e as constantes mudanças de visual por parte de alguns rótulos, torna cada vez mais confusa a cabeça de quem vive alheado de tudo isso e tem apenas e só como objectivo o comprar um vinho para acompanhar a refeição no dia a dia.

Os vinhos
Duas regras que foram impostas, teriam de ser da colheita 2007 e que não tivessem qualquer passagem por madeira. Os vinhos foram escolhidos (excepto novidades) pelas boas prestações que têm vindo a dar durante as colheitas anteriores, vinhos sobejamente conhecidos e cujo preço de prateleira está situado abaixo dos 2,5€ (comprovado em todos os casos no acto da compra).
Os cinco escolhidos foram:


A prova
Servidos em prova cega, os 5 vinhos foram servidos por ordem aleatória, a nível visual todos eles mostram em grande parte a tonalidade citrina de rebordo esverdeado, sendo o exemplar Duriense o que apresentou uma tonalidade com um ligeiro toque dourado.
A colheita de 2007 foi como que mágica para os vinhos brancos em Portugal, a qualidade é alta e até mesmo os vinhos de segmento mais barato saem beneficiados com isso mesmo, o mesmo digo em relação ao consumidor claro está. São na sua grande maioria vinhos onde a acidez presente confere uma bela dose de frescura ao vinho, com fruta de grande qualidade, dando um produto final de aromas vivos e harmoniosos numa prova de boca fresca, frutada e com bom equilíbrio.
De todos os vinhos presentes, apenas o exemplar do Douro se mostrou com 13,5% Vol. , com os restantes a apresentarem uns sempre louváveis 12,5% Vol.
Os mais expressivos em nariz, Gadiva e Serras de Azeitão, destacaram-se claramente dos restantes, o Gadiva com um nariz a denotar uma boa dose daquela tipicidade Duriense que encontramos noutros brancos da região, e um Serras de Azeitão a cair mais no exotismo dos trópicos, permitindo umas ligações ao nível da gastronomia bastante interessantes.
O Couteiro Mor branco é aquilo a que se pode chamar de um clássico quando toca a falar em relação preço/qualidade, mostrou-se no mesmo nível que vem mostrando desde sempre, sempre muito certinho, bem feito e um valor mais que seguro para o consumo diário.
Por outro lado e ficando bastante áquem do esperado, o Vila dos Gamas Antão Vaz, o único varietal em prova que se mostrou envergonhado e muito pouco conversador durante toda a prova, com aromas de parto difícil e quase tirados a ferros, sendo que na prova de boca volta a quebrar quase sem deixar rasto da sua presença.
O que menos agradou, foi uma novidade no mercado, o Figueirinha Reserva branco, onde pelos atributos apresentados pouco ou nada se nota, nem se entende a razão pela qual ostenta o nome Reserva. Correcto, jovem introvertido e com um ligeiro toque de fruta fresca que o torna simples e directo naquilo que tem a dizer, na boca é uma cesta vazia e alongar-me mais seria dizer aquilo que o vinho em causa não tem.

O destaque
O merecido destaque desta prova vai para a entrada no mercado com o pé direito do vinho GADIVA 2007, do produtor Lavradores de Feitoria num exclusivo para o grupo Jerónimo Martins.
Foi de todos os vinhos em prova aquele que conseguiu desmarcar-se um pouco mais, quer a nível da rede de aromas que colocou à disposição, como principalmente na prova de boca, onde se revelou com uma maior presença a nível da espacialidade e mesmo de persistência.
É um vinho que pelo que custa, é bastante interessante, dentro do perfil duriense sabe e consegue cativar a quem ele se aproxima, convém não entrar em entusiasmos pois estamos num patamar onde o que se procura é a melhor qualidade ao mais baixo preço, e nisso este Gadiva é uma aposta mais que segura.

As classificações:
Gadiva - Lavradores de Feitoria branco 2007 - 15,5
Serras de Azeitão branco 2007 - 15
Couteiro Mor branco 2007 - 15
Vila dos Gamas - Antão Vaz 2007 - 14,5
Figueirinha Reserva branco 2007 - 14

8 comentários:

Pratas disse...

Ora aqui está uma comparação muito bem feita, e bastante útil/esclarecedora. Gostei.

abraço

Gus disse...

Caro João,

Aqui está uma bela prova temática, pois torna-se bastante útil e interessante para a compra e consumo de vinhos no dia a dia.

Abraço

Anónimo disse...

Muito bem! Pelo menos desmestifica a ideia (errada) que (eu) tinha de que os blog de vinhos "falam" só de vinhos bons mas €€€€€!
obrigada.

julia f.

Pingus Vinicus disse...

Cara julia f. se existe "diferença" nos blogs é que eles falam de todo o tipo de vinhos, quase sem excepção.

Navegando pela net irá reparar que até se já fizeram provas de vinhos de marca branca (Pingo Doce, LIDL, Continente).

Saudações enófilas.

Moira disse...

Acompanho o V. Blog há algum tempo e considero este tipo de escolhas importante. O comum dos mortais não pode comprar vinhos caros, assim ficamos a saber que afinal também há vinhos baratos e bastante razoáveis.
Cumprimentos

Pedro Sousa P.T. disse...

Parabéns pela prova, foi muito bem elaborada. Támbem gostei bastante do Gadiva 2007, e fiquei até surpreendido só ter dado 2,49€ por um branco com muita classe. Andam por aí uns que custam o triplo ou mais, e ficam à quem deste.
Abraço

HMoreira disse...

Segui a tua sugestão e comprei o Gadiva 07. Em boa hora, exelente RPQ, um vinho fresco, ligeiramente vegetal, com boa presença na prova de boca. A tudo isto somado um rótulo sóbrio mas bonito apenas por 2,45€.

P.S: Acabei por servir o vinho ás cegas a um amigo de copos. No final pedi que indicassem um valor referência para o vinho, 10€ ;-)

Copo de 3 disse...

Caríssimos

É sempre bom constatar que esta foi uma iniciativa bem acolhida, e sendo assim reforço a ideia de que devo continuar.

O Outono já aí está e já está planeada a prova temática de Outubro.

Com os melhores cumprimentos
João de Carvalho

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.